Claranet, grupo de computação em nuvem, compra Mandic no Brasil

No país, onde atende clientes incluindo Embraer, Natura, Banco Inter, Bradesco, Samsung e iFood a Claranet tem receita de cerca de R$ 250 milhões ao ano

Visitante usa smartphone enquanto passa pela frente de anúncio de computação em nuvem em evento em Hanover.
Visitante usa smartphone enquanto passa pela frente de anúncio de computação em nuvem em evento em Hanover. Foto: REUTERS/Fabrizio Bensch

Aluísio Alves, da Reuters

Ouvir notícia

A unidade brasileira do grupo britânico de computação em nuvem Claranet anunciou nesta segunda-feira (19) a compra da Mandic, pioneira em internet no Brasil, por valor não revelado. 

O anúncio ocorre pouco mais de dois meses após a Claranet, que opera em 10 países, ter captado US$ 100 milhões com foco em ampliar suas operações no Brasil, onde fez 3 das 30 aquisições dos últimos 9 anos.

No país, onde atende clientes incluindo Embraer, Natura, Banco Inter, Bradesco, Samsung, Globo, iFood e Visa, a Claranet tem receita de cerca de R$ 250 milhões por ano.

“Estamos fazendo no Brasil o mesmo caminho que iniciamos em outros países da Europa, conciliando crescimento orgânico com consolidação do mercado, para atingir a liderança”, afirmou António Ferreira, do conselho executivo do grupo Claranet.

Com a aquisição, a operação brasileira da Claranet passa a ter mais de 450 empregados. Maurício Cascão, presidente da Mandic, assumirá a área de Inovação na Claranet. A Riverwood Capital foi o principal investidor da Mandic desde 2012, manterá uma fatia minoritária na Claranet.

Mais Recentes da CNN