Claro confirma fechamento da compra da Oi móvel por R$ 3,5 bilhões

Operadora já efetuou o desembolso de R$ 3,246 bilhões, sendo os outros R$ 324,6 milhões temporariamente retidos para eventuais ajustes de preços

Companhia também efetuou o pagamento de R$ 187,7 milhões referentes a serviços de transição dos ativos a serem prestados por 12 meses a partir da data do fechamento pela Oi
Companhia também efetuou o pagamento de R$ 187,7 milhões referentes a serviços de transição dos ativos a serem prestados por 12 meses a partir da data do fechamento pela Oi Tânia Rêgo/Agência Brasil

Circe Bonatelli, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A Claro publicou um comunicado nesta quarta-feira (20), confirmando a conclusão da operação de compra da rede móvel da Oi, que foi fatiada entre TIM, Vivo e Claro. Mais cedo, as demais empresas já haviam anunciado o fechamento da transação e seus desembolsos no negócio.

O valor total da operação para a Claro foi de R$ 3,571 bilhões, tendo a operadora já efetuado o desembolso de R$ 3,246 bilhões. Outros R$ 324,6 milhões ficarão temporariamente retidos para eventuais ajustes de preços mediante condições previstas no contrato.

A companhia também efetuou o pagamento de R$ 187,7 milhões referentes a serviços de transição dos ativos a serem prestados por 12 meses a partir da data do fechamento pela Oi.

A Claro anunciou ainda que foi firmado o contrato de fornecimento de capacidade de transmissão de sinais de telecomunicação em regime de exploração industrial em valor presente liquido (VPL) de aproximadamente R$ 164 milhões, a ser pago para a Oi ao longo de três anos.

A Claro, do grupo mexicano America Movil, reafirmou que “a aquisição agregará valor para a companhia e seus acionistas por meio da oportunidade de aceleração do seu crescimento e do aumento da eficiência operacional por meio de sinergias; para seus clientes, incluindo os clientes da Oi, pois a transação promoverá ganhos na experiência de uso e na qualidade do serviço prestado; e para o setor como um todo, que será reforçado na sua capacidade de investimento, inovação tecnológica e competitividade.”

Tópicos

Mais Recentes da CNN