Com falta de motoristas, lojas do Reino Unido podem ficar sem bebidas no Natal

Regras de imigração mais rígidas postas em prática após o Brexit estão dificultando contratações, segundo empresas do país

Problemas nas cadeias de fornecimento estão ligadas ao Brexit e à pandemia
Problemas nas cadeias de fornecimento estão ligadas ao Brexit e à pandemia Scott Warman/Unsplash

Walé Azeezda CNN*

Ouvir notícia

As lojas no Reino Unido podem ficar sem vinho e bebidas alcoólicas antes do Natal porque não há motoristas suficientes para fazer as entregas.

O alerta foi feito em uma carta enviada pela UK Wine and Spirit Trade Association (WTSA) ao Secretário de Transportes do Reino Unido, Grant Shapps, na semana passada. Ele foi assinado por 48 membros da associação da indústria, incluindo as fabricantes de champanhe e conhaque Moet Hennessy, de propriedade da LVMH (LVMHF), e Laurent-Perrier.

“Esta é uma questão urgente para nossos negócios e é imperativo que o governo [do Reino Unido] tome medidas imediatas para ajudar a mitigar o impacto da crise de escassez de motoristas antes do período de Natal”, afirmou a carta.

A indústria quer ajuda com um melhor roteamento de carga dos portos, bem como atualizações mais regulares do governo sobre a rapidez com que está processando testes e licenças de condução de veículos pesados ​​(HGV).

As empresas também exortaram o governo a estender por um ano um programa de visto temporário que permite aos motoristas do exterior atender às deficiências a longo prazo. O programa de três meses deve expirar em 28 de fevereiro do próximo ano.

“Já estamos vendo grandes atrasos nos prazos de entrega de vinhos e bebidas alcoólicas, o que está aumentando os custos e limitando a gama de produtos disponíveis para os consumidores do Reino Unido”, disse o presidente-executivo da WSTA, Miles Beale, em um comunicado.

Em 2019, 54% dos adultos na Inglaterra relataram beber álcool pelo menos uma vez por semana, de acordo com uma pesquisa do parlamento do Reino Unido.

A associação da indústria de bebidas disse que estava demorando até cinco vezes mais para alguns de seus membros importarem vinhos e destilados em relação há um ano. Ela também disse que os custos crescentes foram repassados ​​aos importadores por despachantes de carga, tendo que pagar mais devido à escassez de motoristas.

Ed Baker, diretor da distribuidora de vinhos Kingsland Drinks, disse que sua empresa enche cerca de 185 milhões de garrafas de vinho todos os anos, o equivalente a “cerca de uma em cada oito garrafas” bebidas no Reino Unido.

O acúmulo de entregas significa que os espaços para contêineres nos centros ferroviários estão em alta demanda, disse ele em um comunicado.

“Normalmente esperaríamos ter de 80 a 100 espaços de tanques, mas no momento podemos estar com 10 a 20. Isso está limitando a quantidade de líquido que chega à nossa planta e vem além da escassez de motoristas de HGV fazendo as entregas”, afirmou Baker.

O governo do Reino Unido disse em um comunicado que não esperava uma interrupção no fornecimento de álcool neste Natal.

“O governo agiu rapidamente para enfrentar os desafios às nossas cadeias de abastecimento, que foram causados ​​por pressões globais, incluindo a pandemia e a escassez internacional de motoristas de veículos pesados”, disse um porta-voz do governo.

A falta de caminhoneiros causou uma crise de combustível no início deste ano, com muitos postos de gasolina fechados e longas filas nos que tiveram a sorte de se abastecer. Em setembro, o governo do Reino Unido implantou tanques de combustível do exército para preencher as lacunas no suprimento de combustível.

Os supermercados também lutam há meses para manter suas prateleiras totalmente abastecidas em meio a uma crise na cadeia de suprimentos causada pela pandemia e pela escassez de trabalhadores gerada em parte pela saída do país da União Europeia.

Alguns trabalhadores da União Europeia deixaram o país após o Brexit, e fazendas, fábricas de processamento de alimentos e empresas de transporte não podem mais recrutar na União Europeia por causa das novas regras de imigração do Reino Unido.

O governo emitiu 5.000 vistos temporários para motoristas estrangeiros, mas a Associação de Transporte Rodoviário do Reino Unido disse que o país precisa de mais 100.000 motoristas para atender à demanda.

Agricultores, banqueiros, varejistas, firmas de logística e donos de restaurantes alertaram o governo nos últimos meses de que regras de imigração mais rígidas postas em prática depois que a Grã-Bretanha deixou a União Europeia estavam dificultando encontrar trabalhadores e manter seus negócios funcionando.

*(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original, em inglês)

Mais Recentes da CNN