Em reunião com ministros, Bolsonaro cobra acordo e verba para obras no Orçamento

A fala foi lida como um recado ao ministro da Economia Paulo Guedes

Daniela Lima e Renata Agostini, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

Em reunião com todos os ministros, na última sexta-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez cobranças públicas e explícitas por um acordo em torno da aprovação do Orçamento de 2021 e por uma composição que o deixasse numa situação menos desconfortável. 

O encontro precedeu a aprovação, na noite de segunda-feira (19), a alteração na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que permite a abertura de crédito para programas de combate à pandemia da Covid-19.

Aos ministros, Bolsonaro disse que, ainda que um mau acordo tivesse sido feito, devera ser cumprido. Ao falar isso, ele se referiu aos R$ 16,5 bilhões que foram prometidos, segundo os parlamentares e integrantes do próprio governo, pelo ministro da Economia Paulo Guedes aos presidentes da Câmara e do Senado em emendas impositivas. Nunca se destinou tanto dinheiro em emendas positivas no Orçamento do Brasil. 

 

Bolsonaro ressaltou que queria segurança jurídica e também afirmou que não estava disposto a paralisar obras realizadas pelo país por conta do impasse orçamentário. Apesar de não ter citado diretamente Paulo Guedes, a fala foi vista como um recado a ele.  

O projeto de Lei do Congresso Nacional nº 2 de 2021, que altera a LDO de 2021, segue agora para sanção presidencial.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) (08.abr.2021)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) (08.abr.2021)
Foto: Reprodução/CNN

Mais Recentes da CNN