Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Expectativa de estímulos ofusca tensões com os EUA e índices chineses avançam

    A China tem espaço para estimular a economia enquanto tenta se recuperar da pandemia de coronavírus, mas o governo não quer abrir as "comportas"

    Mulher caminha de máscara em Hong Kong (22.mai.2020)
    Mulher caminha de máscara em Hong Kong (22.mai.2020) Foto: Tyrone Siu/Reuters

    Reuters

    Ouvir notícia

    Os índices acionários da China avançaram nesta sexta-feira (29) e encerraram a semana em alta, com as expectativas de que Pequim adotará as medidas necessárias para sustentar a economia ofuscando preocupações com a escalada das tensões com os Estados Unidos.

    O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,27%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,22%.

    Na semana, o SSEC e o CSI300 ganharam respectivamente 1,4% e 1,1%.

    A China tem espaço para estimular a economia enquanto tenta se recuperar da pandemia de coronavírus, mas o governo não quer abrir as “comportas”, disse nesta quinta-feira (28) o primeiro-ministro, Li Keqiang, ao final da reunião anual do Parlamento.

    Por outro lado, o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciará nesta sexta-feira sua resposta à aprovação pelo Parlamento chinês de legislação de segurança para Hong Kong.

    . Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,18%, a 21.877 pontos.

    . Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,74%, a 22.961 pontos.

    . Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,22%, a 2.852 pontos.

    . O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,27%, a 3.867 pontos.

    . Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,05%, a 2.029 pontos.

    . Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,02%, a 10.942 pontos.

    . Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,18%, a 2.510 pontos.

    . Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 1,63%, a 5.755 pontos.

    Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

    Mais Recentes da CNN