Gasolina sobe na 1ª quinzena de maio e é vendida por R$ 5,78, diz ValeCard

1ª quinzena de maio teve alta no preço da gasolina, por R$ 5,78, diz ValeCard

Funcionário de posto de gasolina abastece carro em São Paulo
Funcionário de posto de gasolina abastece carro em São Paulo Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Por Wagner Gomes, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Os primeiros quinze dias de maio indicaram mais um período de alta no preço médio da gasolina no Brasil. Desde maio de 2020, o litro do combustível fica mais caro mês a mês, de acordo com o levantamento exclusivo realizado pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frota.

Depois de ensaiar uma estabilização no último mês, o valor cobrado nos postos nesta primeira quinzena subiu 0,91% em relação a abril, com média de R$ 5,789.

Obtidos por meio do registro das transações realizadas entre os dias 1º e 14 de maio com o cartão de abastecimento da ValeCard em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados, os dados mostram que as maiores altas foram registradas no Amapá (8,71%) e Piauí (3,51%).

Por outro lado, os Estados do Amazonas (-2,86%) e Sergipe (-0,50%) registraram as principais quedas.

As capitais do Acre (R$ 6,182) e Rio de Janeiro (R$ 6,237) foram as que apresentaram maiores preços médios na primeira quinzena de maio.

Já Florianópolis (R$ 5,200) e Salvador (R$ 5,267) registraram os menores valores.

Conforme o levantamento, em apenas dois Estados brasileiros (São Paulo e Mato Grosso) compensa abastecer o veículo com etanol – a opção só é vantajosa quando o litro do derivado da cana-de-açúcar custar 70% (ou menos) do que o litro da gasolina.

No período, Pará (5,126) e Rio de Janeiro (R$ 5,080) registraram os maiores preços médios do etanol.

Tópicos

Mais Recentes da CNN