Google processa suposto golpista que vendia filhotes de estimação falsos

Nche Noel é acusado de comunicar falsas promessas às vítimas, registrar os sites fraudulentos com empresas de hospedagem de internet e solicitar e receber pagamentos

Google está movendo um processo por danos financeiros e uma ação judicial contra o acusado, o camaronês Nche Noel, que não respondeu a um pedido de comentário
Google está movendo um processo por danos financeiros e uma ação judicial contra o acusado, o camaronês Nche Noel, que não respondeu a um pedido de comentário Reuters

Por Paresh Dave, da Reuters

Ouvir notícia

O Google, da Alphabet, processou nesta segunda-feira (11) um suposto golpista que vendia animais de estimação falsos, em meio a medidas para conter o uso indevido por seus usuários.

O grupo de defesa de idosos AARP informou o Google sobre o golpe em setembro passado, após queixa de um residente da Carolina do Sul que enviou US$ 700 a um vendedor online para comprar um filhote de basset hound que nunca chegou, de acordo com o processo no tribunal tal em San Jose.

O Google está movendo um processo por danos financeiros e uma ação judicial contra o acusado, o camaronês Nche Noel, que não respondeu a um pedido de comentário.

Um advogado não foi imediatamente listado para Noel no tribunal.

Noel usou dezenas de contas de e-mail do Gmail e do Google Voice “para comunicar falsas promessas às vítimas, registrar os sites fraudulentos com empresas de hospedagem de internet e solicitar e receber pagamentos”, afirma o processo.

Além dos basset hounds, sites supostamente vinculados a Noel ofereceram filhotes de maltipoo, maconha e xarope para tosse de opiáceos prescritos, de acordo com o processo.

As políticas do Google proíbem o uso de seus serviços em atividades ilegais. O processo diz que o golpe do filhote prejudicou a reputação do Google e custou mais de US$ 75 mil para investigar e remediar.

Anteriormente, o Google encaminhou um caso semelhante ao Departamento de Justiça dos EUA, onde um camaronês extraditado da Romênia havia se declarado culpado no ano passado.

O Google já processou hackers russos e empresas de marketing disfarçadas, mas que foi a primeira vez que entrou diretamente com um processo de proteção ao consumidor.

Mais Recentes da CNN