Governo prepara pacote de ajuda a produtores afetados por estiagem

A falta de chuvas no início do ano nas regiões Sul e Centro-Oeste causou prejuízo estimado de R$ 47 bilhões, sobretudo na produção de soja

Gustavo Uribeda CNN

Brasília

Ouvir notícia

O governo federal prepara um pacote de ajuda a produtores rurais que sofreram no início do ano prejuízos por causa de estiagens nas regiões Sul e Centro-Oeste.

As medidas, que envolvem a oferta de linhas de financiamento e a transferência de tecnologia rural, estão sendo elaboradas pelo Ministério da Agricultura.

Elas também passam pela avaliação do Ministério da Economia e do Banco Central, responsáveis por referendar a abertura de crédito.

O prejuízo estimado pelo governo federal pela falta de chuvas é até agora de cerca de R$ 47 bilhões, sobretudo nas produções de soja, milho e feijão.

Para evitar que pequenos produtores abandonem as lavouras, o plano do governo é transferir um montante de R$ 450 milhões ao Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), que é focado no custeio de produção.

A ideia é também retomar contratações rurais do Plano Safra, que teve linhas de crédito suspensas por causa do aumento da taxa de juros. Para isso, o programa necessita de um aporte de cerca de R$ 2,9 bilhões.

Além da maior oferta de crédito, o governo federal avalia programas de transferência de tecnologia para pequenos produtores, como a distribuição de sementes mais resistentes à estiagem e a construção de pequenas barragens para a contenção de água das chuvas.

A expectativa é de que o pacote agrícola seja viabilizado até o final de março. Só no Rio Grande do Sul, foram afetados pela estiagem em torno de 115 mil produtores de grãos e 23,5 mil produtores de leite.

Nesta quinta-feira (17), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, cumpre agenda no Irã. O objetivo da viagem é aumentar a parceria comercial na importação de ureia. O governo brasileiro tem tentado evitar que a escassez mundial de fertilizantes possa afetar a produção brasileira.

Mais Recentes da CNN