Bolsa sobe 6,4% na semana e 8,6% no mês, voltando aos 87 mil pontos

O mês foi marcado por um maior otimismo nos mercados globais em relação ao arrefecimento nos números da pandemia de coronavírus

Pregão na bolsa paulista, a B3 (24/05/2016)
Pregão na bolsa paulista, a B3 (24/05/2016) Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira, encerrou a sexta-feira (29) em alta de 0,52%, a 87.402,59 pontos. Na semana, a alta acumulada foi de 6,4% e, no mês, de 8,6% – a maior alta mensal para maio desde 2009.

O mês foi marcado por um maior otimismo nos mercados globais conforme as infecções por coronavírus desaceleravam em diversos países e as principais economias se preparam para reabrir. Juros em mínimas recordes no mundo, incluindo no Brasil, também favoreceram o apetite por ativos de risco.

Nesta sexta, os investidores estivaram apreensivos em relação a uma escalada que pode estar se desenhando no conflito comercial entre Estados Unidos e China, mas as tensões foram aliviadas após fala mais branda do presidente norte-americana Donald Trump à tarde.

“Um acirramento das tensões sino-americanas tem configurando uma das maiores ameaças para a recuperação dos mercados desde o fim da semana passada”, observou a equipe da Guide Investimentos, em relatório a cliente.

Além das questões comerciais e da pandemia, os atritos entre Washington e Pequim envolvem medidas norte-americanas contra abuso de minorias muçulmanas na China e as últimas investidas do governo chinês em Hong Kong, considerado pelos EUA como uma ameaça à autonomia da região.

No Brasil, o Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre mostrou contração de 1,5% frente ao últimos três meses de 2019, em linha com o esperado, e retração de 0,3% sobre o resultado do primeiro trimestre do ano passado, um pouco abaixo do declínio de 0,4% estimado em pesquisa Reuters.

*Com Reuters

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

 

Mais Recentes da CNN