Importador de combustível diz que Petrobras tem preços predatórios e vai ao Cade

De acordo com dados da Abicom, a defasagem média do preço do diesel está em R$0,22  por litro, enquanto a da gasolina se encontra em R$0,31

Plataforma da Petrobras na Bacia de Campos, litoral do Rio de Janeiro
Plataforma da Petrobras na Bacia de Campos, litoral do Rio de Janeiro Foto: Bruno Domingos - 28.nov.2017/ Reuters

Reuters

Ouvir notícia

A Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom) vai protocolar nesta sexta-feira novo ofício no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) alertando sobre o que considera práticas de preços de combustíveis “predatórias” pela Petrobras, disse o presidente-executivo da entidade à Reuters, Sergio Araujo.

Segundo ele, há “fortes indícios” de que o governo está interferindo nos preços da Petrobras, “com prejuízos para importadores e acionistas”.

Leia também:
Governo quer mudar Bolsa Família com promessa de incluir mais 200 mil famílias
IPVA-SP pode ser parcelado em até 12 vezes no cartão de crédito; saiba como

Para Araujo, a situação está “insuportável” para importadores de combustíveis, pois há defasagem de preços de diesel e gasolina da Petrobras ante o mercado internacional.

De acordo com dados da Abicom, a defasagem média do preço do diesel está em R$0,22  por litro, enquanto a da gasolina se encontra em R$0,31.

Araujo disse que o novo ofício a ser protocolado no Cade trará mais informações sobre as práticas da Petrobras.

A Reuters contatou a Petrobras, mas não foi possível obter uma resposta imediata.

Mais Recentes da CNN