Tesouro Direto: Investidores com mais de R$ 5 milhões vão pagar taxa de custódia

Com a mudança, apenas saldos abaixo de R$ 10 mil terão isenção de cobrança

Funcionário caminha pelos corredores da B3
Funcionário caminha pelos corredores da B3 Foto: Leonardo Benassatto/Reuters

Matheus Prado,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

 

A partir do dia 1 de junho, investidores com saldo superior a R$ 5 milhões no Tesouro Direto passarão a pagar taxa de custódia, informou a B3 em ofício divulgado no último dia 20 de maio. Com a mudança, apenas saldos abaixo de R$ 10 mil terão isenção de cobrança.

Cobrada sobre o valor total dos títulos, a taxa é de 0,25% ao ano, cobrada em duas parcelas iguais: uma no primeiro dia útil de janeiro e outra no primeiro dia útil de julho. A cobrança é proporcional aos dias em que o valor ficou investido.

“Importante que os agentes de custódia informem seus clientes com saldos a partir desse valor, bem como providenciem eventuais atualizações em seus sites sobre o Tesouro Direto. Esclarecimentos adicionais poderão ser obtidos com a equipe da Depositária e Tesouro Direto”, diz o texto.

De acordo com balanço mais recente do Tesouro Direto, em março, mais de 390 mil novos participantes se cadastraram no Tesouro Direto. Com issso, o total de investidores atingiu 10,29 milhões, o que representa aumento de 57,9% nos últimos 12 meses. Já o número de investidores ativos chegou a 1,48 milhão, alta de 21,9% de março de 2020 a março de 2021. 

Os homens representam 66,9% dos investidores, enquanto as mulheres respondem por 33,1%. Já a faixa etária que tem mais participantes no Tesouro Direto é de 26 a 45 anos. 

Mais Recentes da CNN