IR 2020: Receita começa a pagar restituições de quem caiu na malha fina

O crédito bancário será destinado a 273,5 mil pessoas, totalizando R$ 560 milhões

Cálculo de impostos: Receita Federal publicou nova portaria no DOU nesta quinta (10)
Cálculo de impostos: Receita Federal publicou nova portaria no DOU nesta quinta (10) foto-pixabay

Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A Receita Federal começou a pagar nesta sexta-feira (30) o lote residual das restituições de contribuintes que caíram na malha fina. Entraram no lote os contribuintes que entregaram uma declaração retificadora do Imposto de Renda Pessoa Física, corrigindo as pendências encontradas, até o dia 4 de outubro.

O crédito bancário será destinado a 273,5 mil pessoas, totalizando R$ 560 milhões. Desse valor, R$ 211.773.065,86 são destinados aos contribuintes com prioridade legal: 5.110 idosos acima de 80 anos, 38.301 entre 60 e 79 anos, 4.636 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 21.244 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério. Foram contemplados ainda 204.254 contribuintes não prioritários.

Leia também:
IR 2020: Receita inicia envio de cartas aos que caíram na malha fina
Malha fina: veja se você caiu e o que fazer para ficar em dia com a Receita

Caso a restituição tenha sido liberada, mas o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

O contribuinte também poderá fazer o agendamento no site do BB. A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio do Portal e-CAC, no serviço Meu Imposto de Renda, na opção Solicitar Restituição não Resgatada na Rede Bancária.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN