Leilões, NFTs e criptomoedas: Ucrânia usa a criatividade para financiar sua defesa

Estima-se que a guerra pode custar ao país US$ 565 bilhões; a produção econômica do país em 2020 foi de US$ 155 bilhões

Em 28 de março, Kiev havia arrecadado cerca de US$ 56 milhões em criptomoedas com uma doação média de cerca de US$ 30
Em 28 de março, Kiev havia arrecadado cerca de US$ 56 milhões em criptomoedas com uma doação média de cerca de US$ 30 Getty Images/EyeEm

Julia Horowitzdo CNN Business

Ouvir notícia

O ​​epicentro do último esforço para arrecadar dinheiro para a Ucrânia foi um escritório em cima de uma padaria no norte de Londres.

Isaac Kamlish, Nathan Cohen e Isaac Bentata — com idades entre 23 e 25 anos — se reuniram em torno de seus laptops no início desta semana e ajudaram a lançar a primeira venda de colecionáveis ​​digitais únicos (NFTs) por um governo nacional.

Em 24 horas, Kiev, usando tecnologia desenvolvida pelo trio, vendeu mais de 1.200 tokens não fungíveis, ou NFTs, levantando cerca de US$ 600 mil para ajudar a financiar sua defesa contra a Rússia.

O leilão, que fez uso inovador da tecnologia blockchain como alavanca de financiamento em tempos de guerra, destaca como o governo da Ucrânia está usando ferramentas novas e tradicionais para gerar o dinheiro necessário para sobreviver à crise.

Algumas estratégias são mais tradicionais. Kiev arrecadou cerca de US$ 1 bilhão de títulos de guerra vendidos a pessoas e instituições na Ucrânia, já que os moradores mostram disposição de emprestar ao governo, mesmo que não haja garantia de que receberão todo o dinheiro de volta.

A administração do presidente Volodymyr Zelensky também encorajou possíveis doadores em todo o mundo a transferir criptomoedas diretamente, um esforço que arrecadou mais de US$ 56 milhões, de acordo com o grupo de análise Chainalysis.

E a venda da NFT na quarta-feira (30) viu colecionadores de Los Angeles a Barcelona correrem para participar do que viram como um momento importante tanto para a Ucrânia quanto para o mundo das criptomoedas.

“A guerra na Ucrânia é devastadora e estará nos livros de história”, disse Ben Jacobs, cofundador da Scenius Capital, uma empresa de investimento em ativos digitais. “Esse uso da tecnologia de criptografia também é histórico por si só.”

Jacobs, que tem sede em Venice Beach, Califórnia, comprou dois NFTs, gastando um total de US$ 1.100, incluindo pequenas taxas relacionadas às transações. Cerca de US$ 1.000 em ether – a criptomoeda normalmente usada para vendas de NFT – foram para o governo da Ucrânia.

Uma corrida de arrecadação

Na Europa e nos Estados Unidos, as pessoas têm demonstrado sua solidariedade com a Ucrânia pendurando bandeiras azuis e amarelas em prédios, organizando eventos de arrecadação de fundos locais e atualizando seus avatares nas mídias sociais.

Mas a equipe de Zelensky precisa mais do que palavras e gestos. Para manter o governo da Ucrânia funcionando e equipar seus militares, Kiev exige dinheiro — e muito.

Estima-se que a guerra pode custar ao país US$ 565 bilhões. Sua produção econômica em 2020 foi de US$ 155 bilhões.

“Nossa diferença fiscal é muito maior do que esperávamos quando começamos este ano”, disse Yuriy Butsa, comissário da Ucrânia para gestão da dívida pública, à CNN Business, referindo-se à diferença entre receita e gastos do governo.

Para ajudar a superar essa divisão, o governo lançou um esforço sem precedentes nas cinco semanas desde a invasão da Rússia para arrecadar dinheiro para sua causa em escala global.

“Esses caras estão sendo criativos”, disse Viktor Szabo, gestor de fundos especializado em dívida de mercados emergentes da empresa de investimentos britânica Abrdn.

Kiev recorreu a canais testados e comprovados para arrecadar dinheiro. Cerca de US$ 4 bilhões em financiamento de emergência de organizações multilaterais, incluindo o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, já foram recebidos pela Ucrânia, e outros US$ 2 bilhões estão sendo negociados.

Também está utilizando títulos de guerra clássicos, que os governos emitem durante um conflito para obter o apoio dos cidadãos. Eles também são úteis no combate à inflação, pois tiram o dinheiro de circulação em um momento em que muitas vezes há escassez de produtos.

A Ucrânia levantou cerca de US$ 1 bilhão por meio de cinco vendas de títulos em moeda local em março. Butsa disse que há uma demanda significativa de instituições e indivíduos. Os rendimentos vão para o cofre do governo e são usados ​​para cobrir despesas como o pagamento de pensões ou serviços de emergência.

“Tem muita gente comprando US$ 10 mil, US$ 5 mil desse instrumento”, disse Butsa.

A compra desses títulos no clima atual exige um salto de fé. As notas de um ano emitidas no mês passado tiveram um rendimento de 11%, indicando o nível muito alto de risco. Se o governo de Zelensky for derrubado ou for para o exílio, ou uma longa guerra devastar a economia ucraniana, o reembolso não será uma coisa certa.

A S&P Global Ratings baixou sua classificação de crédito para a Ucrânia logo após a invasão. Ele disse que, embora acredite que a comunidade internacional ajudará a Ucrânia a atender suas necessidades de financiamento nos próximos 12 meses, existe o “potencial de interrupções na governança, colocando em risco o serviço da dívida comercial”.

Butsa disse que o governo da Ucrânia está trabalhando “24 horas por dia, 7 dias por semana” com seus banqueiros para desenvolver um novo título em dólar que pode ser vendido a investidores estrangeiros, muitos dos quais estão ansiosos para apoiar Kiev, mas são prejudicados por controles de capital que os impedem de coletar retornos em moeda da Ucrânia, bem como outras questões logísticas.

“Nossa intenção é oferecer um instrumento onde cada pessoa que queira apoiar a Ucrânia sentada nos EUA, tendo sua conta nas instituições financeiras locais, possa nos apoiar facilmente”, disse Butsa. Sua equipe também está explorando opções dentro da União Europeia.

Apesar do apoio à Ucrânia, investidores profissionais — que têm o dever de proteger o dinheiro de seus clientes — podem estar nervosos em emprestar dinheiro ao governo da Ucrânia agora, mesmo que ele encontre uma maneira de oferecer títulos no exterior.

“Não podemos investir em um ativo onde vemos uma alta probabilidade de que o dinheiro não seja devolvido”, disse Szabo, embora tenha acrescentado que acha que o mercado pode se tornar atraente novamente quando a guerra terminar.

Trabalhando o ângulo cripto

As opções de financiamento que não envolvem empréstimos também são atraentes, já que a Ucrânia tem medo de aumentar drasticamente sua carga de dívida.

“Não queremos acabar, quando a guerra chegar à fase de reconstrução, gastando mais no serviço da dívida do que pagamos na reconstrução da infraestrutura”, disse Butsa.

É aí que as doações de criptomoedas e as vendas de NFT podem entrar. Por semanas, a Ucrânia incentivou as pessoas a transferir bitcoin e outras criptomoedas em contas oficiais de mídia social.

O esforço deu ao governo acesso a um grande grupo de pequenos doadores que não precisam se preocupar com acordos financeiros complexos ou conversão de moeda.

Em 28 de março, Kiev havia arrecadado cerca de US$ 56 milhões em criptomoedas com uma doação média de cerca de US$ 30, disse Chainalysis ao CNN Business.

Alex Bornyakov, vice-ministro de transformação digital da Ucrânia, disse no mês passado que o dinheiro foi usado para comprar coletes à prova de balas, capacetes, walkie-talkies e remédios.

A venda de uma NFT da bandeira da Ucrânia pela UkraineDAO, uma iniciativa apoiada por um membro do grupo ativista russo Pussy Riot, arrecadou mais de US$ 6,7 milhões.

O esforço entrou em uma nova fase esta semana com o leilão oficial da NFT. Apoiadores de todo o mundo compraram imagens digitais feitas com artistas locais que combinavam imagens coloridas com artefatos da guerra, como tweets.

Kevin Lista Navarro, um consultor financeiro de 26 anos em Barcelona, ​​doou anteriormente para apoiar refugiados da Ucrânia. Ainda assim, ele viu o leilão da NFT como uma oportunidade única e comprou dois.

“Graças a esta tecnologia, agora você tem a possibilidade de contribuir com a causa e também receber em troca uma obra de arte comemorativa”, disse. “Quem sabe o que eles podem valer no futuro.”

Kamlish, Cohen e Bentata — a equipe em Londres cuja plataforma nascente, FAIR.xyz, foi usada para realizar a venda — conseguiram o emprego depois de enviar e-mails frios para pessoas do governo ucraniano depois que o projeto NFT foi anunciado pela primeira vez.

Eles estiveram envolvidos nas últimas duas semanas e meia, trabalhando até tarde da noite e correndo com adrenalina para preparar o lançamento.

“Tem sido muito louco”, disse Bentata. O processo ocorreu sem problemas, apesar do tráfego intenso no site que pode ter vindo de agentes maliciosos, acrescentou Kamlish.

“Como a Ucrânia realmente se apoiou em criptomoedas como forma de obter apoio financeiro… isso mostra o valor dos governos que se inclinam para a tecnologia de criptomoedas e NFT, em vez de se rebelar contra ela simplesmente porque é nova e assustadora”, disse Jacobs, da Scenius Capital.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN