Mark Zuckerberg, do Facebook, já tem fortuna de US$ 100 bilhões

Apenas dois outros homens, Jeff Bezos, da Amazon, e Bill Gates, da Microsoft, têm fortunas pessoais maiores.

Mark Zuckerberg, do Facebook, em conferência: ele entrou no clube dos ultrarricos
Mark Zuckerberg, do Facebook, em conferência: ele entrou no clube dos ultrarricos Foto: Reprodução/Facebook

Michelle Toh,

do CNN Business, em Hong Kong

Ouvir notícia

Mark Zuckerberg juntou-se ao clube de ultrarricos mais exclusivo do mundo.

Na quinta-feira (6), o CEO do Facebook se tornou centibilionário: alguém que vale pelo menos US$ 100 bilhões. Ele cruzou o marco depois que as ações na rede social dispararam. Apenas dois outros homens, Jeff Bezos, da Amazon, e Bill Gates, da Microsoft, têm fortunas pessoais maiores.

Zuckerberg cofundou o Facebook em seu quarto em Harvard, em 2004, e seu maior ativo ainda é a participação de 13% na empresa, segundo o índice Billionaires da Bloomberg, que rastreia as pessoas mais ricas do mundo.

O magnata de 36 anos também é presidente do conselho e acionista controlador do Facebook.

Leia também:
Jeff Bezos com US$ 1,9 bilhão no bolso: empresário vende participação na Amazon
Dinheiro sem fim: fortuna de bilionários brasileiros cresceu 27% na pandemia

A riqueza de Zuckerberg aumentou com a subida de 6,5% das ações do Facebook na quinta-feira (6), um dia após o lançamento do clone do TikTok, o Reels, no Instagram. O novo recurso para vídeos curtos veio exatamente quando o presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou banir o TikTok, o aplicativo de propriedade chinesa que explodiu em popularidade no ano passado.

Trump cumpriu essa ameaça no mesmo dia, ao emitir um decreto presidencial que pode impedir o TikTok de operar nos Estados Unidos se o seu proprietário chinês, a ByteDance, não vender o negócio para uma empresa americana dentro de 45 dias.

A ByteDance está em negociações com a Microsoft sobre uma venda potencial, embora o chefe da empresa chinesa tenha revelado reservas sobre a abordagem vigorosa da Casa Branca.

O TikTok também mirou recentemente no Facebook, quando o CEO da rede social chinesa, Kevin Mayer, classificou o Reels como “outra imitação”.

“Para aqueles que desejam lançar produtos competitivos, a gente diz: ‘pode lançar!’”, escreveu em seu blog na semana passada.

O lançamento do Reels veio uma semana depois de o Facebook relatar fortes ganhos. Na semana passada, a empresa afirmou ter atingido um novo recorde de 3 bilhões de usuários em suas plataformas, incluindo WhatsApp e Instagram.

A empresa também observou que se beneficiou à medida que mais pessoas ao redor do mundo ficaram em casa por causa da pandemia, aumentando seus números de engajamento no trimestre encerrado em junho.

As ações do Facebook subiram quase 30% este ano, adicionando US$ 22 bilhões à riqueza de Zuckerberg.

Em 2010, o presidente do Facebook assinou o Giving Pledge, uma iniciativa iniciada por Warren Buffett e Bill e Melinda Gates para incentivar os mais ricos do mundo a doar a maior parte de suas fortunas para instituições de caridade.

E, em 2015, Zuckerberg deu um passo adiante, anunciando que doaria 99% de sua participação no Facebook.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Tópicos

Mais Recentes da CNN