Mercado de seguros cresce 10% impulsionado por contratos agrícolas

Apesar da crise causada pela pandemia do coronavírus, o setor já acumulou crescimento de 4,9% nos primeiros onze meses do ano passado

Foto: Matthew Waring / Unsplash

Bruno Lafore, Da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

 

O mercado de seguros brasileiro vive a sexta alta consecutiva e cresce 10% em novembro, terceiro melhor resultado do ano de 2020.

Apesar da crise causada pela pandemia do coronavírus, o setor já acumulou crescimento de 4,9% nos primeiros onze meses do ano passado. Os dados são da IRB+Inteligência, serviço de inteligência de dados que tem como objetivo divulgar informações e estatísticas sobre o comportamento do setor de seguros e resseguros. 

A boa fase se deve principalmente aos seguros corporativos de danos e responsabilidades, aos seguros de vida e às modalidades rurais. 

Leia também:
Seguro de carro: quando vale a pena contratar uma apólice
Seguro Dpvat não será cobrado em 2021

Os seguros de vida representem a maior fatia do faturamento deste mercado, com 37% de participação. Essa modalidade teve alta de 4,2% no acumulado anual, com faturamento de R$ 4 bilhões. Em 2020, as seguradoras notaram aumento da procura por seguros de vida individuais.

O crescimento mais expressivo foi observado no campo. Em novembro de 2020, os seguros ruais mantiveram o robusto crescimento dos meses anteriores com variação positiva de 35,2% em relação a novembro de 2019. No acumulado do ano, o segmento evoluiu 31,6%, com incremento de R$ 1,6 bilhão de faturamento.

O resultado é reflexo da maior demanda por crédito de grande parte dos produtores rurais brasileiros, que tiveram bons resultados com a safra 19/20. “Alguns contratos de crédito exigem que o tomador do recurso tenha um seguro associado. O produtor que está confiante, com dinheiro em caixa, tradicionalmente irá investir em tecnologia.

Essa expansão do crédito leva à maior procura por seguros”, explica o pesquisador da FGV Agro, Felippe Serigati. Para ele, outro fator contribuinte para o “boom’ no mercado de seguros rurais foi a revisão de políticas públicas federais voltadas ao agronegócio: o subsídio ao crédito deu lugar à subvenção a seguros. “Esta subvenção tornou o seguro agrícola mais viável no Brasil”, conclui.

Por outro lado, o segmento de seguros para automóveis está vivendo uma recuperação mais tardia da crise e apresentou sua terceira alta consecutiva em 2020 no mês de novembro. No acumulado do ano, a queda no faturamento é de 3,1%.

Em compensação, as despesas das seguradoras com sinistros apresentaram uma redução histórica. O Índice de Sinistralidade de Automóveis, que corresponde à relação entre os custos e as receitas de uma seguradora, atingiu a marca de 53,8% pela primeira vez.

Os dados gerais trazem otimismo para o mercado de seguros brasileiros. De acordo com o CEO e presidente do Conselho de Administração do IRB Brasil RE, Antonio Cássio dos Santos, os resultados refletem um momento de otimismo. “Novembro foi mais um mês excepcional para o mercado segurador, ratificando a tendência de melhora macroeconômica do país”, comenta.

Mais Recentes da CNN