‘Não há a menor possibilidade de racionamento’, diz diretor-geral do ONS

Em entrevista à CNN, Luiz Carlos Ciocchi afirmou que há um trabalho para os reservatórios chegarem a 2022 em situação melhor que em 2021

Layane Serranoda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o diretor-geral do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) Luiz Carlos Ciocchi afirmou que “não há a menor possibilidade de racionamento” para este ano. Segundo ele, o sistema elétrico brasileiro é “bastante robusto”.

“Desde outubro do ano passado estamos implementando várias ações”, disse Ciocchi sobre o trabalho para atender a demanda. Dois exemplos citados são o despacho de termoelétricas e a redução de vazão de algumas represas e reservatórios.

De acordo com dados do Sistema Interligado Nacional (SIN) divulgados pelo ONS, o consumo de energia no Brasil aumentou 4,7% em agosto, quando comparado com o mesmo período do ano passado.

“O crescimento da demanda tem um lado muito positivo”, disse Ciocchi. “Mostra que a economia está crescendo, saindo do nosso isolamento social.”

Previsão para 2022

Apesar da crise hídrica, o diretor-geral do ONS ainda afirmou que há o trabalho para chegar em 2022 “com os reservatórios em uma situação melhor do que nós começamos este ano”.

“Existe uma incerteza muito grande na questão da estação chuvosa. As indicações que temos até agora são boas no sentido de que não deve atrasar [o início das chuvas]”, disse Ciocchi.

Diante do cenário de escassez, o governo recomendou manter as medidas de retenção de água nos reservatórios de algumas usinas hidrelétricas localizadas no Sudeste/Centro-Oeste até outubro do próximo ano.

Mais Recentes da CNN