O IPVA está chegando: saiba como calcular quanto vai pagar de imposto

O cálculo do valor integral do IPVA depende de três fatores: o modelo do veículo, o ano de fabricação e a alíquota (e pode variar de estado para estado)

Trânsito de veículos em São Paulo: o IPVA está chegando, então cuidado com os gastos do fim do ano
Trânsito de veículos em São Paulo: o IPVA está chegando, então cuidado com os gastos do fim do ano Foto: Paulo Lopes/BW Press/Estadão Conteúdo

Raphael Coraccini,

colaboração para o CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

Com a primeira parcela do 13º salário em mãos, é hora de pensar nas contas do fim do ano e do início do ano que vem. Entre as que mais preocupam o consumidor está o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Mas você sabe como calcular quanto terá que pagar (ou, pelo menos, começar) no início do ano? Mais: quanto você pode poupar com a antecipação de parcelas?

Leia também:
Governo e bancos vão ampliar oferta de serviços digitais, como pagamento de IPVA
Carteira de trabalho digital: como funciona e quando usar?

Para começo de conversa, o cálculo do valor integral do IPVA depende de três fatores: o modelo do veículo, o ano de fabricação e a alíquota, que varia entre 0,5% e 4% sobre o valor do carro, a depender do estado em que foi emplacado.  

O primeiro passo para calcular o IPVA é saber o valor do veículo. Para isso, a tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) é usada como referência.

Como fazer o cálculo? 

O consumidor precisa levar em conta a categoria do veículo para saber qual alíquota vai incidir sobre o valor do IPVA.

Em São Paulo, veículos de passeio, picapes e camionetes movidos a gasolina ou bicombustível pagam 4% de alíquota. Veículos que utilizam exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, têm alíquota de 3%. Os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%.

Usando como exemplo um automóvel comum de passeio bicombustível que tem valor estimado em R$ 30 mil, segundo a tabela Fipe, será preciso multiplicar esse valor pela alíquota da categoria –neste caso, 4%.

Sendo assim, a conta deve ser: R$ 30.000 x 4% = R$ 1.200

O valor do IPVA em São Paulo de um veículo de passeio bicombustível que custa R$ 30.000 é de R$ 1.200.

Outros estados

O Rio de Janeiro aplica alíquota de 4% para automóveis de passeio e camionetes movidos a gasolina, além de carros importados. Veículos de passeio e camionetes que funcionam com álcool ou gasolina tem uma alíquota menor, de 3%. Carros movidos só a álcool, assim como ônibus e micro-ônibus, pagam 2%. Automóveis movidos a gás natural ou energia elétrica, táxis que usam qualquer combustível, além de caminhões têm alíquota de 1%.

Neste caso, o mesmo veículo do exemplo anterior, se fosse emplacado no Rio de Janeiro, teria uma alíquota de 3% e valor de IPVA de R$ 900.

Em Minas Gerais, automóveis de passeio ou misto pagam 4% de IPVA. Motocicletas, 2%. No Rio Grande do Sul, veículos comuns pagam 3% e motocicletas, 2%. Esses estados não diferenciam tipo de combustível para aplicar a alíquota.

É possível verificar a alíquota anual de outros estados no site do Detran de cada região.

Descontos para antecipação 

No Rio Grande do Sul, os descontos para quem pagar à vista o valor do IPVA pode chegar a 25,48% se não receberam multas nos últimos três anos e tiverem acumulado pontos no sistema de notas fiscais do Estado.

Em São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro, os descontos são de 3% para pagamento à vista. Em Minas, o abatimento chega a 5% e na Bahia, a 10%. 

Isenções 

Os veículos com mais de 20 anos estão isentos de cobrança nos estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Alagoas e Acre. No Mato Grosso, são 18 anos para isenção.

Rio de Janeiro, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Amapá, Amazonas, Espírito Santo, Maranhão, Pará, Paraíba, Piauí, Rondônia, Sergipe e Tocantins não cobram imposto depois de 15 anos levando em conta o ano de fabricação do automóvel. Roraima, Goiás e Rio Grande do Norte isentam veículos com mais de 10 anos de fabricação.

Minas Gerais e Pernambuco reduzem progressivamente o valor do IPVA, mas não zeram. Em Santa Catarina, apenas os veículos produzidos até 1985 estão isentos. Os demais estão sujeitos ao mesmo regime progressivo.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook
 

Mais Recentes da CNN