Os melhores investimentos para não perder dinheiro com o coronavirus

O Carteira Inteligente recebe Luciana Seabra, da Spiti, e Arnaldo Curvello, da corretora Ativa Investimentos, para te ensinar a se proteger na crise

Carteira Inteligente dessa semana recebe Luciana Seabra, da Spiti, e Arnaldo Curvello, da Ativa, para te mostrar os investimentos defensivos durante a crise
Carteira Inteligente dessa semana recebe Luciana Seabra, da Spiti, e Arnaldo Curvello, da Ativa, para te mostrar os investimentos defensivos durante a crise Foto: CNN Brasil

Do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

Ao contrário do que aconteceu nos últimos três anos, em que a bolsa só subia e os investimentos se multiplicavam, os quatro primeiros meses de 2020 mostraram que o “bull market” havia chegado ao fim. O termo é utilizado no mercado financeiro para representar os momentos de otimismo e alta – completamente diferente do que aconteceu até agora.

A bolsa caiu 30% desde janeiro. Até mesmo a renda fixa sofreu com oscilações nesse período. Com tantos investidores novatos operando, logo surgiu a dúvida: é possível se proteger desses tombos?Obviamente, não dá para desviar de todos os buracos, mas é totalmente crível se machucar menos das quedas.

O Carteira Inteligente dessa semana traz algumas soluções para aqueles que sofreram com esse período turbulento. Uma das convidadas é Luciana Seabra, presidente da casa de análises Spiti. Para ela, as pessoas precisam entender bem qual é o objetivo delas e não se desviarem por supostas oportunidades no meio do caminho. E, principalmente, diversificar a carteira.

Ouça o programa:

“Existem ativos que te defendem na hora do estresse. Um fundo de ouro indexado em dólar, por exemplo, subiu 50% nesse período de crise”, diz Seabra.

Além disso, é necessário que especialistas em investimento e agentes autônomos joguem limpo com os seus clientes. Essa é a opinião de Arnaldo Curvello, sócio diretor da corretora Ativa Investimentos. Para ele, muitos mostram apenas os lados positivos de tomar risco e esquecem de reiterar que os cenários pessimistas existem – e o atual mostra bem isso.

“Essa crise chegou em um momento em que as pessoas estavam tendo uma rentabilidade muito alta correndo pouco risco e aí foram incentivados a tomar mais risco, como se isso fosse sinônimo de ganhar”, diz Curvello.

Para entender mais sobre o tema e também conhecer as melhores opções para se segurar nesse momento complicado, confira o Carteira Inteligente, comandado pelo diretor do CNN Business, Fernando Nakagawa, na íntegra.

Mais Recentes da CNN