Ouro fecha acima de US$ 1,9 mil a onça-troy pela primeira vez desde janeiro

O metal precioso foi ajudado pela estabilização dos juros dos títulos americanos durante boa parte da sessão

Foto: Reprodução

André Marinho*, da Reuters

Ouvir notícia

 

O contrato futuro de ouro mais líquido fechou em alta nesta quarta-feira, 26, acima de US$ 1,9 mil a onça-troy pela primeira vez desde janeiro. O metal precioso foi ajudado pela estabilização dos juros dos Treasuries durante boa parte da sessão.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange, o ouro com entrega prevista para junho encerrou com ganho de 0,17%, a US$ 1.901,20 a onça-troy, no maior nível desde 6 de janeiro.

 

“À medida que o interesse de compra ganhou força e o aspecto técnico melhorou, era apenas uma questão de tempo até que o ouro retomasse a marca de US$ 1,9 mil, em nossa opinião”, destaca o Commerzbank, em relatório enviado a clientes.

O banco ressalta que os bancos centrais têm intensificado a compra de ouro nos últimos neses, com destaque para Índia, Camboja. Na avaliação da instituição, se esse movimento se consolidar, o ouro ganhará um importante impulso no lado da demanda. “Combinado com maior demanda do consumidor e o reavivamento da demanda de investidores, acreditamos que isso oferecerá apoio ao preço do ouro”, prevê.

O analista Lukman Otunuga, da corretora FXTM, projeta que o aumento das expectativas de inflação e o enfraquecimento dos rendimentos dos Treasuries continuarão ajudando o ativo. “Dada a persistência das preocupações com o aumento das pressões inflacionárias, que melhor proteção contra a inflação do que ouro?”, questiona.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Mais Recentes da CNN