Pequenas indústrias registram recuperação no segundo trimestre de 2021

Um dos fatores para o melhor desempenho está relacionado à vacinação contra Covid-19, aponta a CNI

Indústria gráfica
Indústria gráfica Foto: Paula Forster/CNN

 Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro 

Ouvir notícia

 

As pequenas indústrias brasileiras apresentam sinal de recuperação econômica no segundo trimestre de 2021. É o que diz o Panorama da Pequena Indústria, pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta segunda-feira (16).  
  
O setor industrial apresenta melhora em diversos aspectos. Em relação à situação financeira dessas pequenas indústrias, o índice alcançou 42,3 pontos, o que representa um aumento de 4,5 pontos em relação ao primeiro trimestre de 2021. Os indicadores destacados na pesquisa variam de 0 a 100. Quanto mais perto de 100, maior a evolução. 

 

O indicador de confiança dos empresários subiu para 60,9 pontos em julho de 2021, após três aumentos consecutivos do indicador e segue acima da média histórica, de 52,5 pontos. Quanto às perspectivas da pequena indústria, houve um aumento de 0,5 ponto em julho de 2021, alcançando 52,6 pontos. 
  
Segundo os pesquisadores, a tendência é de evolução positiva para os próximos meses.  “A confiança do setor registra uma evolução positiva ao longo do segundo trimestre de 2021, em comparação com o trimestre passado.

E para os próximos meses, há uma expectativa de novo aumento desse indicador, em decorrência do avanço da vacinação no Brasil, que está atingindo faixas etárias que abarcam a população economicamente ativa”, diz um trecho do estudo.  

A pesquisa também destaca o aumento da produção e da criação de empregos como destaques. A facilidade de acesso ao crédito também foi elencada pelos empresários como uma das razões da melhora do desempenho da pequena indústria.  

A média do segundo trimestre de 2021, que engloba todos os aspectos econômicos, registrou 46,5 pontos, resultado que está acima da média do primeiro trimestre de 2021 (43,9 pontos) e do segundo trimestre de 2020 (34,1 pontos), valor influenciado pela pandemia.   

Pequenos ainda enfrentam obstáculos

Apesar da melhoria no cenário e da boa perspectiva para os próximos meses, a pequena indústria ainda enfrenta obstáculos. Os principais são a falta ou o alto custo de matéria-prima, principalmente, para as empresas dos setores de transformação e de construção (com 60,4% e 58,5% de assinalações, respectivamente). A questão da alta carga tributária também foi citada pelos empresários.  

Panorama   

O panorama usa quatro indicadores. São eles: desempenho, situação financeira, perspectivas e índice de confiança.  

A pesquisa leva em consideração itens como volume de produção, número de empregados, utilização da capacidade instalada, satisfação com o lucro operacional e situação financeira, facilidade de acesso ao crédito, expectativa de evolução da demanda e intenção de investimento e de contratação. 

Os resultados são divulgados trimestralmente, com base na análise dos dados da pequena indústria levantados na Sondagem Industrial, na Sondagem Indústria da Construção e no Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI). Todos os meses, as pesquisas ouvem mais de 900 empresários de empresas de pequeno porte.

Mais Recentes da CNN