Em coma desde 2014, presidente da Samsung, Lee Kun-hee, morre aos 78 anos

Executivo transformou negócio de macarrão do pai na Coreia do Sul em uma empresa global de tecnologia

Reuters

Ouvir notícia


 

Lee Kun-hee, o carismático líder do Grupo Samsung, o maior conglomerado da Coréia do Sul, morreu neste domingo (25), anunciou a empresa. Ele passou seis anos em coma após sofrer um ataque cardíaco.

Lee, que tinha 78 anos, ajudou a transformar o negócio de comércio de macarrão de seu pai, Lee Byung-chul, em uma potência, com dezenas de afiliadas que vão desde eletrônicos e seguros até construção naval.

Ele morreu com sua família ao seu lado, incluindo seu filho, o vice-presidente da Samsung Electronics Jay Y. Lee, disse o conglomerado.

Leia e assista também

Samsung volta a operar em fábricas de Manaus e Campinas

Galaxy Note20 chega ao Brasil com poder de sobra para trabalho e diversão

Samsung nega que vai transferir produção de telas para Vietnã

Lee Kun-hee
O presidente da Samsung, Lee Kun-hee, morto aos 78 anos
Foto: Governo da Coreia do Sul/Wikimedia Commons

Lee é o mais recente líder de segunda geração de um conglomerado controlado por uma família sul-coreana que está morrendo, deixando questões espinhosas de sucessão para a terceira geração.

“O presidente Lee foi um verdadeiro visionário que transformou a Samsung, de uma empresa local, a um líder mundial inovador e potência industrial. Sua declaração de ‘Nova Administração’ em 1993 foi o motivador da visão da empresa de fornecer a melhor tecnologia para ajudar no avanço da sociedade global “, disse a Samsung em um comunicado.

Durante sua vida, a Samsung Electronics passou de fabricante de TV de segunda linha à maior empresa de tecnologia do mundo em receita — eliminando as marcas japonesas Sony, Sharp e Panasonic em chips, TVs e monitores; acabando com a supremacia do Nokia no celular e derrotando a Apple em smartphones.

“Seu legado será eterno”, disse Samsung.

 

Mais Recentes da CNN