Presidente de O Boticário explica funcionamento do programa ‘Compre no Bairro’

Artur Grynbaum falou sobre iniciativa que leva capacitação para pequenos empresários em meio à COVID-19

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Artur Grynbaum, presidente do grupo O Boticário, explicou à CNN, nesta terça-feira (7), como irá funcionar o movimento “Compre do Bairro”, que foi criado por grandes empresas brasileiras em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) em meio à crise econômica gerada pelo coronavírus.

A plataforma irá ajudar na capacitação de profissionais das pequenas empresas do setor de varejo. De acordo com Grynbaum, a iniciativa oferece formação em áreas gerencial e financeira, que podem contribuir neste momento de crise e após a recuperação econômica. “Lançamos agora para ajudar a passar por esse momento e também uma possibilidade de troca de experiências para que possamos aprender uns com os outros”, informou.

Questionado sobre a motivação para a criação da plataforma, que é gratuita, Grynbaum citou o tamanho do setor de pequenas empresas e a capacidade de geração de empregos. “É um número muito grande e temos que considerar com carinho, pois todos nós tivemos uma origem no pequeno varejo, então nesse momento estamos com essa preocupação”, disse.

“Basicamente, o que pode nos ajudar no Brasil, hoje, é que as pessoas possam empreender para gerar oportunidades de emprego para os brasileiros. Juntando tudo isso, achamos que era momento de lançar essa plataforma como ação social para que pudéssemos incentivar as pessoas a agregar ações e conhecimento”.

Enquanto na primeira fase o objetivo é oferecer capacitação, a segunda deve ter impacto direto no caixa das pequenas empresas. Planejada para quando a crise passar e as empresas puderem abrir as portas em segurança novamente, a próxima etapa é incentivar justamente o comércio nos estabelecimentos de bairro. “Que seja feita a compra de produtos brasileiros, nas lojas dos bairros. Essa compra pequena é muito importante para a manutenção dos empregos.”

Mais Recentes da CNN