Renault reduziu sua previsão de cortes de empregos até 2024

Esses cortes vêm no topo de 4.600 posições que a empresa anunciou em 2020 que cortaria como parte de uma redução de custos para conter as perdas

Unidade da Renault em Nantes, França
Unidade da Renault em Nantes, França REUTERS/Stephane Mahe (09/09/2021)

Por Tassilo Hummel e Gilles Guillaume, da Reuters

Ouvir notícia

A montadora francesa Renault disse nesta segunda-feira (6) que reduziu sua previsão de cortes de empregos de engenharia e suporte na França entre 2022 e 2024, para 1.700 das 2.000 perdas de vagas esperadas anteriormente.

A Renault, que tem uma participação de 15% do governo francês, disse em setembro que iniciaria as negociações com sindicatos sobre os planos de cortar até 2.000 empregos de engenharia e suporte na França, à medida que a empresa mudasse para veículos elétricos e contratasse para diferentes cargos.

“Dado o aumento do número de pessoas que deixam a empresa de forma voluntária… houve um reajuste das metas do plano entre 2022 a 2024”, disse um porta-voz da Renault à Reuters, confirmando o número de 1.700 informado pela Les Echos.

Esses cortes vêm no topo de 4.600 posições que a empresa anunciou em 2020 que cortaria como parte de uma redução de custos para conter as perdas.

A montadora disse no mês passado que estava perto de atingir sua meta de cortar custos fixos em 2 bilhões de euros (2,3 bilhões de dólares) até o final de 2021, um ano antes do previsto. O objetivo é atingir 3 bilhões de euros em cortes de custos até 2025.

Um representante sindical disse à Reuters que os novos números de cortes de empregos apresentados pela administração da Renault em seu plano 2022-2024 seriam apresentados pelos sindicatos a seus membros em duas semanas.

O porta-voz da Renault disse que o plano 2022-2024 ainda visa a contratação de 2.500 novas pessoas em diferentes cargos.

Mais Recentes da CNN