Salários não estão subindo a ponto de desencadear inflação mais alta, diz Powell

Presidente do banco central dos Estados Unidos também afirmou que não vê risco para o mercado com redução de compra de títulos

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, falou sobre a situação da economia dos EUA
O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, falou sobre a situação da economia dos EUA REUTERS/Kevin Lamarque

Jonnelle MarteDan Burnsda Reuters

Ouvir notícia

Os salários nos Estados Unidos estão subindo enquanto a economia continua a se recuperar dos impactos causados pela pandemia do coronavírus, mas os aumentos não estão ocorrendo em um ritmo que possa desencadear inflação mais alta, disse nesta quarta-feira (1) o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell.

“Vimos os salários subindo significativamente”, disse Powell durante audiência perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara.

“Não os vemos subindo a uma taxa preocupante que tenderia a desencadear uma inflação mais alta, mas isso é algo que estamos observando com muito cuidado”.

Powell também disse que a recuperação econômica dos Estados Unidos é mais forte do que a de outras economias importantes, em parte graças a um apoio fiscal mais robusto.

Mas, com milhões de norte-americanos ainda desempregados, as autoridades do banco central dos Estados Unidos precisam equilibrar o mandato para alcançar o pleno emprego e a meta de estabilidade de preços, disse Powell.

“Temos que equilibrar esses dois objetivos quando eles estão em tensão, assim como agora”, afirmou Powell. “Mas asseguro que usaremos nossas ferramentas para garantir que essa inflação alta que estamos experimentando não se fortaleça”.

Corte de estímulos

Durante a sessão, Powell, afirmou não acreditar que a redução do programa de compra de títulos pelo banco central norte-americano, em andamento, será disruptiva aos mercados financeiros, e repetiu acreditar que será apropriado acelerar o processo de corte de estímulos.

“Acho que a redução das compras não precisa ser um evento disruptivo nos mercados, não espero que seja. Não tem sido até agora. Telegrafamos isso”, disse Powell em resposta a uma pergunta em audiência no Congresso.

“Acho que se olhar para a situação da economia, olhe para onde estamos, olhe para os dados mais recentes, você pode ver a política altamente expansionista que temos mesmo depois do fim da redução de estímulos, é realmente apropriado reduzir”, disse ele.

“E, como mencionei ontem, acredito que seja apropriado avaliar na próxima reunião reduzir mais rápido, para que (as compras) sejam encerradas algumas meses mais cedo”.

Mais Recentes da CNN