‘Se for preciso mais que R$ 44 bi de auxílio, governo tem protocolo’, diz Guedes

Os R$ 44 bilhões foram o teto determinado na Proposta de Emenda à Constituição (PEC), aprovada no Senado na semana passada

O ministro da Economia, Paulo Guedes
O ministro da Economia, Paulo Guedes Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil (18.dez.2019)

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília

Ouvir notícia

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo tem “protocolo” para aumentar o valor reservado para o auxílio emergencial, de R$ 44 bilhões, caso seja necessário “lá na frente”. “Se na frente for exigido mais, temos protocolo para fazer isso”, afirmou.

Os R$ 44 bilhões foram o teto determinado na Proposta de Emenda à Constituição (PEC), aprovada no Senado na semana passada, para os gastos com o auxílio neste ano. O texto será apreciado pela Câmara.

 

Em uma aparente mudança de postura em relação à cúpula do governo, Guedes reforçou que a vacinação em massa é a “primeira prioridade do governo”.

O ministro voltou a dizer que a economia brasileira foi uma das que menos caiu no mundo e que teve “recuperação em V”. “O Brasil vai responder à altura da crise com vacinação em massa, auxílio emergencial e protocolo fiscal”, completou.

Com Estadão Conteúdo

Mais Recentes da CNN