Senado aprova prioridade para mulher chefe de família em auxílio emergencial

Caso haja divergência a respeito de qual dos dois é o real tutor de filhos, mães terão prioridade sobre pais para receber cota dupla do benefício

Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Auxílio emergencial de R$ 600.

Aplicativo da Caixa
Foto: ANDRÉ RICARDO/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Os senadores aprovaram nesta quarta-feira (8) projeto de lei que prioriza as mães chefes de família no recebimento do auxílio emergencial, em cota dupla, quando há informações conflitantes sobre a guarda dos filhos.

Assim, quando o pai também se declarar responsável pelos dependentes, a prioridade será das mães.

O auxílio emergencial é pago em valor dobrado, de R$ 1.200, para chefes de família monoparentais, quando os filhos são criados só pela mãe ou só pelo pai. A relatora da proposta, senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), manteve o texto vindo da Câmara e apenas acatou emenda de redação.

Assista e leia também:

Não podemos continuar por muito tempo com auxílio emergencial, diz Bolsonaro

PSB vai ao STF para que governo apresente cronograma de auxílio emergencial

Em seu relatório, Rose menciona que são “numerosos os relatos de mães e filhos que se encontram desamparados, porque o pai – por exemplo, um ex-cônjuge – foi quem sacou os recursos” do governo. O projeto foi aprovado em votação simbólica e segue agora para a sanção presidencial.

Mais Recentes da CNN