Sistema Cantareira passa a operar com menos de 30% e entra na faixa de restrição

Chuvas de outubro fizeram com que o nível do reservatório apresentasse uma melhora, mas os índices voltaram a cair após breve estabilidade

Represa do Rio Jaguari, que compõem o Sistema Cantareira, o principal responsável pelo abastecimento de água da capital paulista e da região metropolitana
Represa do Rio Jaguari, que compõem o Sistema Cantareira, o principal responsável pelo abastecimento de água da capital paulista e da região metropolitana Luis Moura/WPP/Estadão Conteúdo

Carolina FigueiredoRafaela Larada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O Sistema Cantareira – principal reservatório de água da Grande São Paulo – passou a operar, oficialmente, na faixa de restrição ao atingir 28,4% do volume de sua capacidade nesta quarta-feira (3).

Segundo a Sabesp, o reservatório entra em estado de restrição se registrar volume abaixo de 30% no último dia do mês. Em 31 de outubro, o Cantareira já operava abaixo dos 30% – eram 28,1%.

As chuvas de outubro fizeram com que o nível do reservatório apresentasse uma melhora e atingisse 28,2%, mas os índices voltaram a cair após uma breve estabilidade.

Ainda no início do último mês, o sistema já operava com 29,6% da capacidade: o menor volume dos últimos cinco anos, e já era considerado nível de alerta.

O Sistema Cantareira é formado pelos reservatórios de Jaguari, Jacareí, Cachoeira, Atibainha e Paiva Castro.

Veja a situação dos mananciais em São Paulo nesta quarta, segundo a Sabesp:

  • Cantareira: 28,4%
  • Alto Tietê: 39,6%
  • Guarapiranga: 51,4%
  • Cotia: 46,0%
  • Rio Grande: 83,3%
  • Rio Claro: 43,2%
  • São Lourenço: 67,8%

Mais Recentes da CNN