Startup de planos de saúde Pipo quer dobrar equipe com aporte de R$ 100 milhões

A startup automatiza burocracias na contratação e operação de processos pelos departamentos de recursos humanos das empresas

Planos de saúde coletivos não têm limite para reajuste das mensalidades
Planos de saúde coletivos não têm limite para reajuste das mensalidades Foto: Agência Brasil

Aluisio Alves,

da Reuters

Ouvir notícia

A startup de gestão de planos de saúde Pipo anunciou nesta quarta-feira aporte de 100 milhões de reais liderado pela Thrive Capital, com a participação dos fundos Atlântico, monashees, Kaszek, OneVC e executivos da indústria de venture capital. 

Segundo a presidente e cofundadora da Pipo, Manoela Mitchell, os recursos da rodada serão usados para dobrar a equipe da startup para até 200 funcionários até o fim do ano, além de investir em tecnologias e dados.

Criada há dois anos, a Pipo presta serviços de corretora de seguros para empresas com 100 a 1.000 empregados e usa ciência de dados para ajudar clientes a minimizarem as despesas com planos de saúde, que costumam subir sempre acima da inflação.

Além da corretagem, a startup automatiza burocracias na contratação e operação de processos pelos departamentos de recursos humanos das empresas.

“Conseguimos poupar cerca de 20% ao ano para os nossos clientes”, disse Mitchell à Reuters.

A Pipo tem entre uma centena de clientes empresas também baseadas em tecnologia, como o portal de artigos para o lar MadeiraMadeira e o aplicativo de transporte rodoviário Buser.

Mais recentemente, a startup passou a prestar também serviços de apoio direto aos funcionários das empresas clientes, incluindo orientações em saúde preventiva e recomendações para melhor uso de rede credenciada.

 

 

Mais Recentes da CNN