Trump proíbe investimentos americanos em empresas ‘ligadas ao Exército chinês’

Trump listou empresas que 'ajudam modernização' do Exército chinês e 'ameaçam segurança dos EUA', proibindo investimentos. Entre elas, Huawei e China Telecom

O republicano Donald Trump durante discurso na Casa Branca
O republicano Donald Trump durante discurso na Casa Branca Foto: CNN (05.nov.2020)

Por Jazmin Goodwin,

da CNN

Ouvir notícia

O presidente Donald Trump assinou uma ordem executiva proibindo os americanos de investirem em empresas chinesas que, segundo o governo, sejam “de propriedade ou controladas pelos militares chineses”.

A ordem se aplica a 31 empresas chinesas que, segundo a administração Trump, “possibilitam o desenvolvimento e a modernização” do Exército chinês e “ameaçam diretamente” a segurança dos Estados Unidos.

A fabricante de smartphones Huawei e Hikvision, um dos maiores fabricantes e fornecedores mundiais de equipamentos de vigilância por vídeo, estão entre as empresas na lista. Algumas das outras empresas listadas, incluindo a China Telecom e a China Mobile, são negociadas na Bolsa de Valores de Nova York.

A ordem de Trump também proíbe os investidores americanos de possuir ou negociar quaisquer títulos que se originem ou estejam expostos a essas empresas. Isso inclui fundos de pensão ou participação em empresas proibidas. Os investidores terão até novembro de 2021 para “desinvestir” em qualquer uma das companhias.

A ordem, prevista para entrar em vigor em 11 de janeiro, chega no momento em que as batalhas comerciais e tecnológicas estão se intensificando entre as duas maiores economias do mundo.

Mais Recentes da CNN