Volvo quer ter carros 100% elétricos até 2030

A companhia também disse que seus novos veículos elétricos serão vendidos apenas online, como a Tesla, principal do setor, faz

Foto: Francis Joseph Dean/Deanpictures/Reuters

Charles Riley, CNN Business

Ouvir notícia

 

No final desta década, o único Volvo que você poderá comprar será o elétrico. E você só poderá comprá-lo online

A montadora chinesa anunciou planos nesta terça-feira (2) para parar de vender carros movidos a combustíveis fósseis até 2030, parte de uma tendência de aceleração dentro da indústria para responder à pressão para enfrentar a crise climática. A companhia também disse que seus novos veículos elétricos serão vendidos apenas online.

A marca sueca disse que, como parte da transição, quer que metade de suas vendas em 2025 seja de carros elétricos e a outra metade de veículos híbridos. Isso significa que a fabricante deixará de vender veículos movidos exclusivamente a gasolina ou diesel daqui a quatro anos.

Os objetivos são agressivos para uma empresa que lançou apenas um veículo totalmente elétrico, o XC40 Recharge. Mas eles refletem um consenso crescente de que as montadoras não podem atrasar a mudança para os veículos elétricos sem perder clientes e irritar os reguladores.

“Não há futuro de longo prazo para carros com motor de combustão interna”, disse o diretor de tecnologia da Volvo, Henrik Green, em um comunicado. A transição para a venda apenas de carros elétricos permitirá que a Volvo “atenda às expectativas de nossos clientes e seja parte da solução quando se trata de combater as mudanças climáticas”, acrescentou.

A montadora disse que seu segundo carro totalmente elétrico, um novo modelo da Série 40, será lançado ainda nesta terça. Vários modelos elétricos adicionais serão lançados nos próximos anos, disse.

A Volvo disse que vai investir pesadamente em vendas online e “reduzir radicalmente” a complexidade de suas ofertas de produtos. O preço será transparente, disse a empresa. A estratégia é semelhante à utilizada pelo líder do mercado de carros elétricos Tesla, que vende apenas online.

Os anúncios acontecem menos de uma semana depois de o proprietário da Volvo, Geely (GELYF), descartar os planos de fundir as montadoras. A maior montadora independente da China disse que as duas empresas manterão suas estruturas corporativas independentes, embora farão parcerias em tecnologia de direção elétrica e autônoma.

Outras montadoras anunciaram planos nos últimos meses para acelerar sua transição para veículos elétricos. A Ford (F) disse em fevereiro que planeja vender apenas carros elétricos de passageiros na Europa até 2030. A General Motors (GM) anunciou recentemente que pretende vender apenas veículos livres de emissões até 2035.

Grande parte da ação está acontecendo no mercado doméstico da Volvo. A Europa impôs metas agressivas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa dos veículos, e as montadoras enfrentam enormes multas potenciais se não cumprirem. Isso ajudou o continente a se antecipar aos Estados Unidos na adoção de veículos elétricos.

A montadora alemã Volkswagen (VLKAF), que anunciou uma aliança com a Ford em 2019, é líder em vendas de veículos elétricos na Europa. A Tesla (TSLA) está construindo sua primeira fábrica europeia fora de Berlim, que deve ser inaugurada ainda este ano.

Prevê-se que os veículos elétricos eventualmente sejam mais baratos de produzir do que os carros tradicionais movidos a gasolina, graças a menos peças móveis e, portanto, menos necessidade de mão de obra para montá-los.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN