Zona do euro deverá rever postura fiscal devido a guerra na Ucrânia

Dentro de três semanas, o Eurogrupo revisará novamente esta questão

Presidente do Eurogrupo, Paschal Donohoe
Presidente do Eurogrupo, Paschal Donohoe 08/10/2019. REUTERS/Lorraine O'Sullivan

Por Jan Strupczewski, da Reuters

Ouvir notícia

Os ministros das Finanças da zona do euro vão considerar nas próximas semanas as implicações da política fiscal decorrentes da invasão da Ucrânia pela Rússia para que possa apoiar a economia, se necessário, disse o presidente do Eurogrupo, Paschal Donohoe.

Donohoe disse, em coletiva de imprensa, que em dezembro passado os 19 países que compartilham o euro concordaram com uma postura fiscal moderadamente estimulante para 2022.

“Dentro de três semanas, o Eurogrupo revisará novamente esta questão. Discutirá a coordenação de nossa política orçamentária e essa discussão virá na hora certa”, disse Donohoe após reunião dos ministros.

“Entre agora e depois (isso) nos permitirá revisitar e rever nossa estratégia para garantir que possamos apoiar nossas economias e nossos cidadãos neste momento de maior desafio”, disse.

A União Europeia (UE) também está revisando suas regras que limitam empréstimos, ou o Pacto de Estabilidade e Crescimento, suspenso desde 2020 para dar aos governos espaço para combater a pandemia de Covid-19.

As regras devem ser restabelecidas a partir do início de 2023 porque, após uma profunda recessão causada por bloqueios para conter a propagação do coronavírus, o crescimento econômico voltou aos níveis pré-pandemia e é forte.

Mas o vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, disse na coletiva que a Comissão está pronta para ser flexível.

“Estamos prontos para ajustar a política (econômica), se necessário”, disse ele.

Mais Recentes da CNN