Zoom lança fundo de US$100 mi para investir em startups voltadas à plataforma

A empresa de videoconferência se tornou um nome comum durante a pandemia, impulsionada por medidas de isolamento social impostas por governos ao redor do mundo

Foto: Dado Ruvic/Reuters

Por Stephen Nellis, da Reuters

Ouvir notícia

 O Zoom disse nesta segunda-feira que criou um fundo deUS$ 100 milhões para investir em startups que criem aplicativos que usem sua tecnologia.

A empresa de videoconferência se tornou um nome comum durante a pandemia, impulsionada por medidas de isolamento social impostas por governos ao redor do mundo.

A vice-presidente financeira da Zoom, Kelly Steckelberg, disse à Reuters que o fundo investirá entre US$ 250 mil e US$ 2,5 milhões  em empresas que estão criando os chamados “Zoom Apps”, aplicativos que se conectam à plataforma de videoconferência da empresa para adicionar novos recursos a ela.

 

Embora nomes já consolidados como a Salesforce tenham aplicativos que podem ser usados no Zoom, Steckelberg disse que a empresa quer incentivar os desenvolvedores a criarem novas funções para a plataforma, como quadros digitais para esboço de ideias.

Ela ainda afirmou que o fundo também será aberto a empresas como desenvolvedoras de aplicativos de telemedicina ou fabricantes de hardware para salas de videoconferência que desejem explorar os sistemas de vídeo baseados em nuvem do Zoom.

Mais Recentes da CNN