Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Agência diz que precisou corrigir informações em textos escritos por AI; entenda

    Inteligência artificial teria sido a responsável por diversos erros em reportagens e artigos

    Inteligência Artificial teria até mesmo plagiado trechos de textos
    Inteligência Artificial teria até mesmo plagiado trechos de textos Freepik

    Catherine Thorbeckeda CNN

    Nova York

    A agência de notícias CNET disse na quarta-feira (25) que emitiu correções em vários artigos, incluindo algumas que descreveu como “correções substanciais”, depois de usar uma ferramenta com inteligência artificial para ajudar a escrever dezenas de histórias.

    Desde então, o canal parou de usar a ferramenta de IA para gerar histórias, disse a editora-chefe da CNET, Connie Guglielmo, em um editorial na quarta-feira.

    A divulgação ocorre depois que o Futurism informou no início deste mês que a CNET estava usando inteligência artificial para escrever artigos e depois encontrou erros em uma dessas postagens.

    Embora o uso de IA para automatizar notícias não seja novidade – a Associated Press começou a fazer isso há quase uma década – o problema ganhou nova atenção em meio ao surgimento do ChatGPT, uma nova ferramenta viral de chatbot de IA que pode gerar rapidamente ensaios, histórias e letras de músicas.

    Guglielmo disse que a CNET usou um “mecanismo de IA projetado internamente”, não o ChatGPT, para ajudar a escrever 77 matérias publicadas desde novembro. Ela disse que isso representou cerca de 1% do conteúdo total publicado na CNET durante o mesmo período e foi feito como parte de um projeto de “teste” para a equipe CNET Money “para ajudar os editores a criar um conjunto de explicações básicas sobre tópicos de serviços financeiros.”

    Algumas manchetes de histórias escritas usando a ferramenta de IA incluem: “Um empréstimo imobiliário afeta o seguro hipotecário privado?” e “Como fechar uma conta bancária”.

    “Os editores geraram os esboços das histórias primeiro, depois expandiram, adicionaram e editaram os rascunhos da IA antes de publicar”, escreveu Guglielmo. “Depois que uma das histórias desempenhadas por IA foi citada, corretamente, por erros factuais, a equipe editorial da CNET Money fez uma auditoria completa.”

    O resultado da auditoria, disse ela, foi que a CNET identificou histórias adicionais que exigiam correção, “com um pequeno número exigindo correção substancial”. A CNET também identificou várias outras histórias com “problemas menores, como nomes de empresas incompletos, números transpostos ou linguagem que nossos editores seniores consideraram vagos”.

    Uma correção, que foi adicionada ao final de um artigo intitulado “O que são juros compostos?” afirma que a história inicialmente deu alguns conselhos de finanças pessoais extremamente imprecisos.

    “Uma versão anterior deste artigo sugeria que um poupador ganharia US$ 10.300 depois de um ano, depositando US$ 10 mil em uma conta de poupança que rende 3% de juros compostos anualmente. O artigo foi corrigido para esclarecer que o poupador ganharia US$ 300 além do valor principal de US$ 10 mil”, afirma a correção.

    Outra correção sugere que a ferramenta AI fez plágio. “Substituímos frases que não eram totalmente originais”, segundo a correção adicionada a um artigo sobre como fechar uma conta bancária.

    Guglielmo não declarou quantas das 77 histórias publicadas exigiam correções, nem detalhou quantas correções “substanciais” necessárias versus “pequenos problemas”. Guglielmo disse que as histórias que foram corrigidas incluem uma nota dos editores explicando o que foi alterado.

    A CNET não respondeu imediatamente ao pedido de comentário da CNN.

    Apesar dos problemas, Guglielmo deixou a porta aberta para retomar o uso da ferramenta de IA. “Fizemos uma pausa e reiniciaremos o uso da ferramenta de IA quando nos sentirmos confiantes de que a ferramenta e nossos processos editoriais evitarão erros humanos e de IA”, disse ela.

    Guglielmo também disse que a CNET divulgou com mais clareza aos leitores quais histórias foram compiladas usando o mecanismo de IA. A saída foi criticada pelos críticos nas mídias sociais por não deixar abertamente claro para o público que “Por CNET Money Staff” significava que foi escrito usando ferramentas de IA. A nova assinatura é apenas: “Por CNET Money”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original