Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com 152,7 milhões de transações em um único dia, Pix bate novo recorde

    Recorde anterior era de 142,4 milhões de transações e foi registrado em 4 de agosto.

    Foram transferidos R$ 76,1 milhões na quarta-feira (6)
    Foram transferidos R$ 76,1 milhões na quarta-feira (6) Marcello Casal Jr/Agência Brasil

    Cristiane Nobertoda CNN

    Brasília

    O Banco Central informou nesta sexta-feira (8) que houve um novo recorde de transações pelo Pix em um único dia. Foram registradas 152,7 milhões de transferências apenas na última quarta-feira (6). O volume financeiro transferido foi de R$ 76,1 milhões.

    O recorde anterior, registrado em 4/8, era de 142,4 milhões de transações.

    O órgão também ressaltou o aumento nas transações de pessoas físicas para pessoas jurídicas como o principal vetor do crescimento recente nas transferências. No mês passado, as operações alcançaram 33,33%, maior número desde o lançamento do Pix.

    “A adesão e o crescimento inicial do Pix se basearam nas transferências entre pessoas físicas. A maturação do Pix, a conveniência no seu uso e o desenvolvimento de soluções de integração pelo mercado estão permitindo uma maior diversificação nos casos de uso, aumentando sua importância no bom funcionamento da economia nacional.

    Outros recordes

    Em agosto foi listado um novo recorde de novas chaves Pix castradas para pessoas físicas, com 619 milhões. Para pessoas jurídicas, o BC registrou 650 milhões de cadastros.

    A modalidade Pix Saque e Pix Troco também atingiram novos patamares. De acordo com os dados do BC, em agosto foram registradas 919 mil transações correspondentes a R$ 177,1 milhões.

    Os formatos, implementados em 29 de novembro de 2021, permitem que todos os clientes consigam sacar dinheiro ou receber os valores em espécie de um ponto de venda qualquer, como uma loja de bairro, uma padaria ou um supermercado.

    Novas funcionalidades

    Nesta semana, o Banco Central divulgou um relatório sobre os primeiros anos de funcionamento do Pix. No documento, a autoridade monetária prevê ampliar as funcionalidades futuramente para pagamentos de pedágios, estacionamentos, transporte público e até transações internacionais.

    “O BC vem acompanhando iniciativas ao redor do mundo, e o Pix já foi desenvolvido para facilitar esse tipo de conexão, adotando padrões internacionais de comunicação”, informou.

    Veja também: Pix se torna o principal meio de pagamento digital do Brasil