Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Congresso na Arábia Saudita irá discutir tendências para economia e negócios

    Democracia, inteligência artificial e energia, além de novos atores econômicos como a China, Oriente Médio e África, estão entre os temas a serem debatidos em conferência internacional

    Vista do centro de Riyadh, capital da Arábia Saudita
    Vista do centro de Riyadh, capital da Arábia Saudita B.alotaby/Wikipedia

    Da CNN*

    São Paulo

    Acontecerá entre os dias 24 e 26 de outubro, em Riyadh, na Arábia Saudita, a sétima edição do Future Investment Initiative, congresso internacional que irá discutir as principais tendências para a economia e os negócios em meio ao que identifica como uma “nova ordem mundial” em formação.

    Sob o tema “Uma nova bússola”, a edição de 2023 do congresso terá painéis para debater as tendências de setores como energia, infraestrutura, inteligência artificial, cultura e turismo.

    O futuro da democracia, bem como os motores que movem novos atores econômicos como a China, o Oriente Médio e os países da África, também são debates que estão na agenda. A programação pode ser vista na página do evento, em inglês.

    “Conforme o mundo continua a experimentar vastas transformações socioeconômicas e geopolíticas, o movimento em direção a uma Nova Ordem Mundial continua a inspirar o futuro dos negócios, das finanças e dos investimentos internacionais”, diz o programa da conferência.

    “Nesta nova ordem, modelos econômicos centenários começam a se desintegrar enquanto novos sistemas e estruturas tomam forma.”

    O evento irá contar com cerca de 500 palestrantes e a expectativa dos organizadores é que um público de mais de 5 mil delegados esteja presentes.

    A Future Investment Initiative é organizada pelo Future Investment Initiative Institute (FII Institut), uma fundação internacional e sem fins lucrativos que tem o objetivo de promover debates com investidores, empresários, agentes públicos e pesquisadores em busca de soluções ligadas a educação, saúde, sustentabilidade e inteligência artificial.

    Veja também: Entenda os possíveis impactos da guerra na economia

    *Publicado por Juliana Elias