Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Especialista explica como evitar golpes nas compras on-line da Black Friday

    Última sexta-feira de novembro deve movimentar cerca de R$ 15,5 bilhões no país em 2023, de acordo com a Abecs

    Estudo aponta que a Black Friday deste ano deve movimentar cerca de R$ 15,5 bilhões no Brasil.
    Estudo aponta que a Black Friday deste ano deve movimentar cerca de R$ 15,5 bilhões no Brasil. Foto: Paulo Pinto/Agência Brasil

    Rafael Saldanhada CNN*

    A Black Friday chega nesta sexta-feira (24) e promete movimentar muito a economia brasileira. Mas os consumidores precisam ficar atentos para não cair em falsos descontos, golpes virtuais e não serem vítimas de ofertas fraudulentas.

    Segundo um levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, a Black Friday deste ano deve movimentar cerca de R$ 15,5 bilhões no Brasil.

    A advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, Carolina Vesentini, orienta para que as pessoas se planejem para a data. “É importante pesquisar os preços com antecedência, tirar fotos e prints dos produtos para checar se os preços estão realmente com descontos na Black Friday“, explica Carolina.

    Ela também diz que, se houver um anúncio ou uma oferta que não condiz com o preço do produto, é preciso tirar um print para comprovar a fraude.

    “Nesses casos, recomendamos que o consumidor tente o primeiro contato com a loja, no canal oficial do SAC do site. Caso ele não consiga, é possível acionar o Procon e, em último caso, ele tem a opção da via judicial”.

    Por fim, a advogada afirma que existem maneiras de se prevenir e checar se uma loja virtual é confiável ou não. Ela cita que no site consumidor.gov.br é possível consultar qualquer empresa e checar sua reputação.

    Além disso, o Procon disponibiliza uma lista de sites que devem ser evitados, com páginas que tiveram reclamações de consumidores registradas no Procon, foram notificadas e não responderam ou não foram encontradas.

    *Sob supervisão de Bruno Laforé