Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    7 em cada 10 brasileiros da região Sudeste fazem planejamento financeiro, diz pesquisa

    Estabilidade financeira, comprar um imóvel e melhorar o nível de vida são alguns dos objetivos ao organizar as contas

    40,9% dos brasileiros do Sudeste organizam seus recursos pensando no longo prazo, enquanto apenas 29,6% o fazem a curto prazo
    40,9% dos brasileiros do Sudeste organizam seus recursos pensando no longo prazo, enquanto apenas 29,6% o fazem a curto prazo katemangostar/Freepik

    Marien Ramosda CNN*

    Em busca de alocar estrategicamente a renda e alcançar alguns objetivos, 70,4% dos brasileiros do Sudeste realizam planejamento financeiro. Isso representa sete em cada 10 pessoas da região, segundo pesquisa da Associação Brasileira do Planejamento Financeiro (Planejar) exclusiva para a CNN.

    O levantamento consultou 649 pessoas e, daqueles que planejam como utilizar sua renda, 18,1% tem objetivo principal atingir a estabilidade financeira.

    Além disso, comprar um imóvel, organizar as finanças e melhorar o nível de vida são outras considerações importantes apontadas pelos entrevistados na hora de realizar o planejamento financeiro.

    Para Osvaldo Cervi, vice-presidente do Conselho de Administração da Planejar, esses números indicam uma melhora na conscientização sobre a importância do planejamento financeiro.

    No entanto, ele ressalta que ainda há um longo caminho a percorrer em relação à compreensão da relevância do planejamento visando objetivos mais duradouros.

    Segundo o estudo, 40,9% dos brasileiros do Sudeste organizam seus recursos pensando no longo prazo, enquanto  29,6% o fazem a curto prazo — uma estratégia também acompanhada pelas regiões Norte, Nordeste e Sul.

    Já no Centro-Oeste esse cenário muda, onde as pessoas se planejam para um período de tempo menor ante uma estratégia mais duradoura.

    Cervi analisou que “embora haja muito foco inicial em pessoas buscando organização para lidar com as dificuldades imediatas, à medida que ocorre um amadurecimento e maior compreensão sobre o planejamento financeiro, é esperado um deslocamento dos objetivos de curto para longo prazo”.

    A pesquisa também mostrou que a falta de renda é a principal barreira para 29,3% dos que não se planejam financeiramente. Nesta medida, o estudo “Pulso 2023” da Ipsos, divulgada no início deste ano, apontou que mais de 60% dos brasileiros não conseguem nem mesmo guardar dinheiro.

    A percepção de que não é necessário se planejar financeiramente, a falta de conhecimento e a escassez de tempo são outros fatores impeditivos, conforme o levantamento.

    Quando se trata de assistência profissional, 72,8% dos entrevistados negaram a utilização de um assessor financeiro, enquanto a outra parcela procura orientação, principalmente, com parentes e amigos, seguido de gerente do banco ou consultores autônomos.

    *Sob supervisão de Ligia Tuon