Cobrança de taxas faz 66% dos consumidores brasileiros desistiram de compras internacionais

Pesquisa encomendada pelo Aliexpress mostra que queda nas compras internacionais não aumentaram as vendas locais

Compras online
Compras online Getty Images

Débora Oliveirada CNN

A taxa de desistência de compras internacionais no momento da conclusão do pedido aumentou para 66% depois da implementação do Programa de Remessa Conforme, mostra pesquisa realizada pela consultoria Plano CDE, a pedido do Grupo Alibaba, dona do Aliexpress.

Desses 66% que desistiram de concluir os pedidos nos sites, 45% não realizaram a compra em outra loja, seja nacional ou internacional.

Os dados coletados também mostram que 75% do público se opõe ao aumento de impostos em plataformas de e-commerce internacionais e 90% diz concordar em reduzir a atual alíquota para produtos acima de US$ 50.

Entre os entrevistados, 87% acreditam ser mais correto reduzir taxações dos produtos nacionais ao invés de aumentar o imposto dos produtos importados.

O estudo revela uma mudança significativa sobre o comportamento do consumidor. Nos três meses anteriores à pesquisa (setembro a novembro de 2023), 94% dos consumidores já tinham realizado compras online. Dentre essas transações, 44% foram efetuadas por meio de plataformas estrangeiras.

A pesquisa deixa claro que os consumidores brasileiros recorrem às plataformas estrangeiras devido à indisponibilidade no mercado nacional e à busca por preços mais acessíveis, destacando a influência direta do custo na decisão de compra.

62% dos consumidores entrevistados entende que a importação possibilita o consumo, especialmente de quem tem menos renda, enquanto 56% diz que importação dá acesso a produtos diferentes.

Por fim, o estudo destaca que a maioria dos consumidores reconhece os mais importantes benefícios dos sites internacionais, como: o acesso a produtos não disponíveis localmente e preços mais acessíveis.

Estas percepções indicam, segundo a consultoria, a necessidade de um equilíbrio na aplicação de impostos para promover um ambiente de comércio eletrônico mais inclusivo e competitivo e que tenha como foco quem mais importa, o consumidor brasileiro.

A pesquisa, realizada por meio de uma abordagem quantitativa online, entrevistou pessoas que realizaram compras online nos últimos 12 meses. A coleta de dados ocorreu entre 23/12/2023 e 09/01/2024, contando com 2.535 respondentes representando diversos gêneros e as classes ABCDE, conforme o critério brasileiro. A margem de erro foi de 2%, com um intervalo de confiança de 95%.