Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Inflação no Reino Unido para de cair, aumentando as chances de taxas de juros muito mais altas

    Dados divulgados pelo Escritório de Estatísticas Nacionais na quarta-feira (22) desafiaram as previsões de uma desaceleração da inflação para 8,4% em comparação com o ano anterior

    Olesya Dmitracovada CNN

    A inflação do Reino Unido inesperadamente ficou estagnada em 8,7% em maio, tornando mais provável que o Banco da Inglaterra continue aumentando as taxas de juros, potencialmente levando-as a um nível não visto em mais de duas décadas.

    Os dados divulgados pelo Escritório de Estatísticas Nacionais na quarta-feira (22) desafiaram as previsões de uma desaceleração da inflação para 8,4% em comparação com o ano anterior. Os preços das atividades recreativas e culturais subiram a um ritmo mais rápido do que em abril e, embora a inflação de alimentos tenha diminuído, ela permaneceu alta, chegando a mais de 18%.

    “O custo das passagens aéreas aumentou mais de um ano atrás e está em um nível mais alto do que o normal em maio”, disse o economista-chefe do EEN, Grant Fitzner. “O aumento dos preços de carros usados, eventos de música ao vivo e jogos de computador também contribuíram para que a inflação permanecesse alta.”

    O núcleo da inflação – que exclui os custos voláteis de alimentos e energia e é um melhor indicador da tendência subjacente dos preços – subiu no mês passado, atingindo uma alta de 31 anos de 7,1%.

    Isso separa o Reino Unido de outras economias avançadas, incluindo os Estados Unidos e os 20 países que usam o euro, onde o núcleo da inflação começou a diminuir, observou Neil Shearing, economista-chefe da Capital Economics.

    “A inflação parece ter infectado o mercado de trabalho e a fixação de salários em maior dimensão no Reino Unido do que em qualquer outro lugar”, disse ele, acrescentando que o Banco da Inglaterra agora tem mais chances de aumentar os custos de empréstimos em meio ponto percentual na quinta-feira, em vez de um quarto de ponto como era esperado.

    O choque é uma má notícia politicamente para o primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, que prometeu reduzir a inflação pela metade este ano para cerca de 5%, e economicamente para milhões de pessoas em toda a Grã-Bretanha que lutam com uma crise de custo de vida e enfrentam crescentes pagamentos de hipotecas, com as taxas de juro dos empréstimos de dois anos agora acima dos 6%.

    A taxa de juros sobre a hipoteca típica do Reino Unido, um empréstimo de taxa fixa de dois anos, vem subindo desde o início de maio, e novos aumentos estão por vir, já que os bancos esperam aumentos em seus próprios custos de empréstimos.

    “Bomba hipotecária”

    Craig Erlam, analista sênior de mercado da plataforma de negociação OANDA, disse que os mercados agora veem a principal taxa de juros do banco central atingindo 6% no início do próximo ano. Esse seria o nível mais alto desde o início de 2000 e, disse Erlam, “poderia ser muito prejudicial e aumentar o risco de a economia ceder sob a pressão”.

    De acordo com a UK Finance, uma associação de bancos e provedores de serviços financeiros, 800.000 hipotecas de taxa fixa devem expirar no segundo semestre deste ano, levantando o espectro de um salto inacessível nos pagamentos quando os mutuários refinanciarem.

    “As pessoas estão muito preocupadas com o que foi descrito como a bomba hipotecária prestes a explodir”, disse o legislador britânico Jake Berry na terça-feira no parlamento.

    A inflação persistentemente alta também está elevando os rendimentos da dívida do Reino Unido, tornando mais caro para o governo tomar dinheiro emprestado. Dados oficiais também divulgados na quarta-feira mostraram que a dívida do setor público da Grã-Bretanha – de £ 2,6 trilhões (RS$ 15,8 trilhões) – ultrapassou a produção econômica anual total do país.

    A última vez que a relação dívida/PIB esteve acima de 100% foi em 1961. Antes de maio, a inflação homóloga caía por dois meses consecutivos.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original