Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Frigoríficos do Sul se unem para contornar caos de enchentes; alguns começam retomada

    Quatro fábricas de frango e suínos permanecem paralisadas, enquanto seis estão retomando gradualmente

    Parceria visa superar obstáculos logísticos que impedem o fornecimento de ração e água
    Parceria visa superar obstáculos logísticos que impedem o fornecimento de ração e água 8/11/2005 - REUTERS/Felix Ordonez

    Reuters

    Frigoríficos brasileiros concorrentes uniram forças para contornar os problemas causados pelas enchentes no estado do Rio Grande do Sul, onde chuvas torrenciais bloquearam estradas, mataram criações e paralisaram infraestruturas importantes, disse um dirigente do setor nesta terça-feira (7).

    José Ribas, presidente do Sindicarne do estado vizinho de Santa Catarina, afirmou que os frigoríficos estão trabalhando em parceria para superar obstáculos logísticos que impedem o fornecimento de ração e água às granjas de frangos e suínos.

    Grandes inundações no Rio Grande do Sul deixaram cidades e lavouras submersas, provocando a morte de pelo menos 90 pessoas.

    Ribas confirmou a morte de suínos e aves em fazendas gaúchas devido às enchentes, mas disse não ser possível estimar o tamanho dos prejuízos.

    Quatro fábricas de frango e suínos permanecem paralisadas, enquanto seis estão retomando gradualmente as operações, disse Ribas.

    Ele não quis dizer as localidades das unidades porque não pode falar pelas companhias.

    A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) não comentou nesta terça-feira sobre o número de unidades com operações afetadas.

    Na segunda-feira (6), estimou que dez tinham sido paralisadas ou estavam parcialmente afetadas.