Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    H&M negocia com Iguatemi abertura de lojas em São Paulo

    Varejista sueca anunciou em julho que chegará ao Brasil em 2025

    Marca de roupas abriu a sua primeira loja na América Latina em 2012, no México
    Marca de roupas abriu a sua primeira loja na América Latina em 2012, no México REUTERS/Evgenia Novozhenina/file photo

    Da CNN* São Paulo

    A empresa de shopping centers Iguatemi confirmou à CNN nesta quarta-feira (2) que foi procurada pela varejista de moda de origem sueca, H&M, para negociar a abertura de lojas da companhia em alguns de seus estabelecimentos.

    A Iguatemi é uma das maiores empresas do setor no Brasil e detém participação em 14 shopping centers, dois premium outlets, um e-commerce premium no modelo marketplace, quatro torres comerciais e uma torre residencial.

    Segundo a companhia, os empreendimentos juntos totalizam 727 mil m² de Área Bruta Locável (ABL) total.

    A H&M anunciou em julho que chegará ao Brasil em 2025. Em comunicado, a empresa explicou que a operação contará com e-commerce e lojas em território nacional.

    A marca de roupas abriu a sua primeira loja na América Latina em 2012, no México. Atualmente a empresa está presente no Peru, Uruguai, Chile, Colômbia, Equador, Guatemala, Panamá e Costa Rica.

    “Com uma população de mais de 210 milhões de pessoas no Brasil e uma grande valorização da moda, vemos um potencial considerável de expansão nesse mercado”, afirmou a empresa.

    A H&M está fazendo uma parceria com o Dorben Group, empresa que opera negócios de varejo em dez países diferentes na América Central e do Sul, para ajudar na sua expansão para o Brasil, conforme divulgou a gigante da moda.

    O lançamento da empresa no país acontece em um momento em que a rede de fast fashion busca acelerar sua expansão em todo o continente americano, em especial na América do Sul.

    Veja também: Isenção de compras em sites internacionais amplia transparência, diz economista

    Publicado por Amanda Sampaio, da CNN. Com informações da Reuters.