Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Yellen diz que EUA estão trabalhando para mitigar riscos à economia global

    Secretária do Tesouro dos EUA reforça que recuperação global é desigual e que riscos permanecem

    Secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen
    Secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen 08/04/2024 - REUTERS/Florence Lo/File Photo

    Reuters

    A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse nesta terça-feira (16) que o crescimento econômico do país mais forte do que o esperado ajudou a impulsionar a economia global, e que Washington está trabalhando para mitigar os riscos remanescentes para a perspectiva global e garantir um crescimento sustentável no longo prazo.

    Em comentários preparados para uma coletiva de imprensa, Yellen disse que o mercado de trabalho dos EUA está notavelmente saudável e que a inflação caiu significativamente em relação ao seu pico, embora haja mais trabalho a ser feito.

    Ela disse esperar que a economia dos EUA continue a sustentar a economia global, mas reconheceu que a recuperação global é desigual e que riscos permanecem.

    “Desde o início do governo, o presidente [Joe] Biden deixou claro que o isolacionismo norte-americano havia acabado“, disse Yellen.

    “Portanto, embora esperemos que a força econômica dos Estados Unidos continue a sustentar o crescimento global, também temos nos envolvido com o mundo para mitigar os riscos de curto prazo e apoiar o crescimento sustentável de longo prazo.”

    Esse trabalho continuará nas reuniões de primavera desta semana do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, onde Yellen se reunirá com autoridades da China, Coreia do Sul, Japão, Reino Unido e muitos outros países.

    Yellen disse que levantou preocupações com as autoridades chinesas durante sua visita a Guangzhou e Pequim neste mês sobre os riscos que o excesso de capacidade de produção representa para os Estados Unidos e para a economia global.

    Nesta semana, ela disse que as autoridades norte-americanas e chinesas realizarão reuniões dos Grupos de Trabalho Econômico e Financeiro, que se concentrarão no combate à lavagem de dinheiro e no crescimento equilibrado.

    Yellen disse que também planeja trabalhar com o Brasil, atualmente na presidência do G20, inclusive em uma revisão do arcabouço global de financiamento climático.

    Os Estados Unidos também continuarão pressionando por reformas no Banco Mundial e em outros bancos multilaterais de desenvolvimento (MDBs) para expandir sua capacidade de empréstimo a fim de ajudar os países em desenvolvimento a lidar com as mudanças climáticas, pandemias e outros desafios que representam riscos ao crescimento global.

    “Nenhum país pode lidar com essas questões sozinho, e as ações bilaterais também não são suficientes, por isso pressionamos por ações decisivas e coordenadas”, disse ela.

    Yellen disse que o Banco Mundial e outros bancos multilaterais de desenvolvimento fizeram um progresso significativo, aumentando a capacidade de empréstimo na próxima década em US$ 200 bilhões com o alongamento responsável dos balanços patrimoniais e outros US$ 50 bilhões com aumentos de capital no Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento e no Banco Interamericano de Desenvolvimento.