Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Autoridades nos EUA abrem nova investigação contra Boeing, desta vez envolvendo 787 Dreamliner

    Investigações busca saber se os funcionários realizaram falsificações de registros das aeronaves

    Avião Boeing Dreamlifter em unidade da empresa em North Charleston, na Carolina do Sul, EUA
    Avião Boeing Dreamlifter em unidade da empresa em North Charleston, na Carolina do Sul, EUA 30/05/2023 - Gavin McIntyre/Pool via REUTERS/

    Gregory Wallaceda CNN

    Os agentes estão investigando se os funcionários da Boeing não realizaram algumas inspeções de qualidade em seus jatos 787, informou a Administração Federal de Aviação (FAA, da sigla em inglês) nesta segunda-feira (6).

    A investigação visa determinar se as inspeções foram realizadas e “se os funcionários da empresa podem ter falsificado os registros das aeronaves”, disse a FAA.

    A Federação também informou que, enquanto a investigação ocorre, os funcionários da Boeing inspecionarão os Dreamliners que ainda não foram entregues às companhias aéreas clientes e desenvolverão um plano para os aviões que estão voando atualmente.

    A Boeing “nos informou voluntariamente em abril que pode não ter concluído as inspeções necessárias para confirmar a ligação e o aterramento adequados onde as asas se unem à fuselagem em determinados aviões 787 Dreamliner”, disse a FAA.

    O executivo da companhia aérea que supervisiona o programa 787 escreveu em um memorando interno, compartilhado com a CNN, que o problema foi relatado por um funcionário e é um caso de “má conduta”. Ele disse que não se trata de “um problema imediato de segurança de voo”.

    O memorando de Scott Stocker disse que a empresa determinou que “várias pessoas estavam violando as políticas da empresa ao não realizar um teste necessário, mas registrando o trabalho como concluído”.

    “Informamos prontamente nosso regulador sobre o que descobrimos e estamos tomando medidas corretivas rápidas e sérias com vários colegas de equipe”, diz o memorando.

    Stocker afirmou que a empresa “celebrará” o funcionário que se manifestou.

    Em abril, um engenheiro da Boeing apresentou publicamente diferentes alegações de qualidade sobre vários modelos da Boeing, incluindo o Dreamliner.

    Sam Salehpour é o nome dele, o qual alegou que atalhos durante o processo de fabricação significavam que pequenas lacunas na fuselagem dos 787s poderiam não ser preenchidas adequadamente.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original