Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Se a meta de inflação está errada, muda-se a meta, diz Lula ao criticar juros altos

    Presidente voltou a criticar atual patamar da taxa básica de juros, que classificou como "incompreensível"; Lula afirmou ainda que a política de preço da Petrobras só será discutida no momento em que ele convocar os responsáveis para discutir o assunto

    Da CNN*

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira (6) que, se a atual meta de inflação está errada, ela deve ser alterada, e voltou a criticar o atual patamar da taxa de juros, que classificou como “incompreensível”.

    Em café da manhã com colunistas, Lula mencionou uma declaração do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de que, para cumprir a atual meta de inflação, a taxa básica de juros deveria ser de 26,5% ao ano, não os 13,75% vigentes.

    “É no mínimo uma coisa não razoável de ser dita, porque se a meta está errada, muda-se a meta”, disse Lula no café da manhã.

    A meta da inflação para 2023 é de 3,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto para mais ou para menos. Para 2024 e 2025, o patamar estabelecido é de 3%, com a mesma banda de tolerância.

    Em fevereiro, o IPCA, índice de inflação de referência usado pelo governo, registrou alta acumulada em 12 meses de 5,6%, acima do teto da meta estabelecida para este ano.

    A meta de inflação é estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional, composto pelos ministros da Fazenda e do Planejamento e pelo presidente do BC.

    Não é possível a gente imaginar que você possa estabelecer crédito com taxa de juros acima de 15, 16, 17, 18%. Tem gente pegando juro a 30% no mercado para fazer investimento […]. Vamos ter que discutir com muita clareza quando eu voltar da China a questão de uma política de crédito para pequena e média empresa, para cooperativas, para agronegócio, para agricultura familiar. Somente com a circulação de dinheiro é que a gente vai poder retomar o crescimento da economia”, declarou.

    Privatização também esteve na pauta. Lula afirmou que não vai privatizar empresas para trazer dinheiro.

    “Queremos que as pessoas que venham para o Brasil venham para fazer investimentos em coisas novas, em coisas que precisamos, muitas obras de infraestrutura. Temos um poder extraordinário que é a quantidade de obras que foram paralisadas desde 2016”.

    Política de preços da Petrobras

    Lula disse ter sido pego de surpresa com a discussão na imprensa entre uma posição do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e uma suposta decisão da direção da companhia.

    O presidente afirmou que a política de preço da Petrobras só será discutida no momento em que ele convocar os responsáveis para discutir o assunto. “Vamos mudar, mas com muito critério. Porque durante a campanha eu disse que era preciso abrasileirar os preços da gasolina e o preço do óleo diesel. O Brasil não tem por que estar submetido a PPI”, declarou.

    Lula reforçou que este é um tema que será discutido “no momento certo”.

    “Eu fui na primeira reunião do Conselho Nacional de Política Energética para discutir uma série de coisas. Vou convocar outras [reuniões] para discutir outras coisas, inclusive a política de preços da Petrobras.”

    (Publicada por Marcelo Tuvuca)