Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    James Cameron diz que Avatar 2 é “mais emocional” do que o primeiro filme

    Estreia da sequencia do longa ganhador do Oscar está prevista para dezembro deste ano

    "Avatar 2: O Caminho das Águas" chega no final de 2022
    "Avatar 2: O Caminho das Águas" chega no final de 2022 Divulgação/20th Century Fox

    Jason CarrollLisa Respers Franceda CNN

    Em entrevista a Jason Carroll, da CNN, James Cameron falou sobre como “Avatar: O Caminho da Água”, sequência do filme de 2009 que ganhou o Oscar, é diferente do original.

    “Eu acho que é muito emocionante. Acho que é mais emocional do que o primeiro filme. Acho que foca mais na dinâmica do personagem e do relacionamento em comparação ao anterior, mas definitivamente entrega o espetáculo”, afirmou.

    O novo longa, que deve estrear em dezembro deste ano, é inspirado no fascínio do diretor pela vida marinha. “Eu amo os oceanos. Sou apaixonado pelo oceano antes mesmo de conhecer um. Aprendi a mergulhar na zona rural do Canadá”, pontuou.

    Os atores tiveram que se adaptar a atuar debaixo d’água, e ele disse que após o treinamento, as estrelas Kate Winslet e Sigourney Weaver conseguiram prender a respiração por até seis ou sete minutos.

    “Avatar” é o filme de maior bilheteria de todos os tempos, tendo arrecadado mais de US$ 2,8 bilhões. Observadores da indústria do entretenimento estão atentos para ver se a sequência de Cameron pode atrair as pessoas de volta a Pandora – e aos cinemas – mais uma vez.

    “Apostamos muito nessa ideia de uma franquia ou saga que se desenrola em vários filmes, e o filme em si é muito caro para fazer. E, embora possamos ganhar muito dinheiro, podemos não ser lucrativos e você não vai fazer algo que não seja lucrativo por muito tempo”, disse Cameron.

    O primeiro filme está sendo relançado nos cinemas, e o diretor ressaltou que está animado com isso.

    “Há toda uma geração que só conseguiu ver em streaming, ou blue-ray, se as pessoas ainda fazem isso, então foi uma perspectiva emocionante trazer as pessoas de volta ao cinema. E agora é mais oportuno do que nunca, porque eles sofreram muito nos últimos dois anos”, destacou, se referindo aos impactos da pandemia.