Jessica Chastain, melhor atriz no Oscar, estudou Tammy Faye por sete anos

Atriz, que ganhou a primeira estatueta da carreira, também é produtora de “Os Olhos de Tammy Faye”; filme estreia no Star+ no dia 6 de abril

Filme rendeu o primeiro Oscar da carreira de Jessica Chastain
Filme rendeu o primeiro Oscar da carreira de Jessica Chastain Divulgação

Marina Toledoda CNN

Ouvir notícia

Após o destaque no Oscar, no último domingo (27), “Os Olhos de Tammy Faye” ganha data de estreia no Brasil: 6 de abril, no canal de streaming Star+. O filme levou duas estatuetas para casa, a de Melhor Atriz e Melhor Maquiagem e Penteado.

Com direção de Michael Showalter, “O Olhos de Tammy Faye” é um olhar íntimo por trás da extraordinária ascensão, queda e redenção da televangelista Tammy Faye Bakker.

A apresentadora norte-americana, ao lado do marido, Jim Bakker, foi responsável por criar a maior rede de TV religiosa do mundo nos anos 1970. Ela era adorada pela comunidade LGBTQIA+ e lembrada pelas perucas extravagantes, maquiagens cintilantes e pelos longos cílios.

A cinebiografia traz Jessica Chastain como Tammy Faye e Andrew Garfield como Jim Bakker.

O longa rendeu o prêmio de Melhor Atriz, o primeiro Oscar da carreira de Chastain, que já havia se consagrado no Critics Choice Awards e no Sindicato dos Atores pelo papel. Foi sua terceira indicação ao prêmio mais prestigiado do cinema, anteriormente ela concorreu pelas performances em “Histórias Cruzadas” (2012) e “A Hora Mais Escura” (2013)

Em seu discurso, Jessica demonstrou admiração pela personalidade que interpreta: “Há violência e crimes de ódio machucando cidadãos no mundo todo. Em tempos assim, eu penso sobre a Tammy e me sinto inspirada por seus atos radicais de amor, sua compaixão”.

A atriz, que também é produtora do filme, foi quem sugeriu e foi atrás da ideia depois de assistir ao documentário homônimo e comprar os direitos. Ela estudou Tammy Faye por sete anos e memorizou todos os trejeitos da apresentadora.

Jessica Chastain e Andrew Garfield em “Os Olhos de Tammy Faye”/ Divulgação

“Passei anos olhando imagens dela e nunca vi o rímel escorrendo pelo seu rosto. Ela não era nada como a caricatura da qual a mídia alimentava”, disse a protagonista em material divulgado para a imprensa.

O documentário inspirou Jessica Chastain a contar mais da história da televangelista, destacando sua compaixão e sem julgamentos.

“Ela pregou aceitação e compaixão e quis dizer isso, e é isso que queríamos que as pessoas vissem neste filme. Quando todos viraram as costas para as pessoas com HIV e AIDS, ela convidou um pastor gay que tinha AIDS para estar em seu programa. Ela também apresentou programas da rede Praise The Lord durante todo o dia, escreveu quatro livros e lançou 24 álbuns. Ela nunca foi paga por nada disso, ela deu todo seu dinheiro para a igreja”, contou Chastain.

Mais Recentes da CNN