Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Madonna: relembre 10 hits clássicos da rainha do pop

    Show da cantora norte-americana deve ter hits que passeiam por seus 40 anos de carreira

    Madonna no videoclipe de "Material Girl"
    Madonna no videoclipe de "Material Girl" madonna/Youtube/Reprodução

    Flávio Ismerimda CNN São Paulo

    Madonna voltará ao Brasil depois de 12 anos para fazer um show para milhões de pessoas nas areais da Praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro.

    A apresentação, que acontecerá no primeiro sábado do mês de maio (4), marcará o encerramento da “The Celebration Tour“, turnê que celebra os 40 anos de carreira da cantora norte-americana.

    O setlist do show, se seguir o apresentado ao longo da turnê que rodou a Europa e os Estados Unidos, será recheado de hits que passeiam por todas as eras da carreira de Madonna.

    Quer se preparar para o evento? A CNN listou dez dos principais hits da voz de “Like A Prayer”.

    Confira os principais hits clássicos da Madonna:

    “Holiday”, do álbum “Madonna” (1983)

    Terceiro single do álbum de estreia autointitulado de Madonna, “Holiday” foi o primeiro grande sucesso da cantora nos Estados Unidos. Essa foi a sua primeira canção a entrar no Hot 100 da Billboard e teve como pico a 16ª posição.

    A letra de Curtis Hudson e Lisa Stevens reflete o frescor da juventude dos anos 1980, com versos que conclamam o mundo inteiro a aproveitar um feriado.

    “Like A Virgin”, do álbum “Like A Virgin” (1984)

    Primeira pitada de uma Madonna sexy e ousada, “Like A Virgin” é a canção que a fez a cantora explodir e, pela primeira vez alcançar o topo da Billboard Hot 100. A música marcou época, sobretudo pelas cenas em que Madonna aparece desbravando Veneza usando um vestido de noiva e pela letra de teor sexual.

    A canção conta com a produção refinada de Nile Rodgers, que brilhou com a banda Chic nos anos 1970 e trabalhou como produtor para artistas como David Bowie e Diana Ross.

    “Into The Groove”, do álbum “Like A Virgin” (1984)

    “Into The Groove” foi lançado como quarto single do álbum “Like A Virgin” e parte da trilha sonora do primeiro grande filme de Madonna, “Procura-se Susan Desesperadamente”.

    A canção, escrita e produzida por Madonna, contava com cenas do filme no clipe e foi eleita pela Billboard como o single dance da década de 1980.

    “Papa Don’t Preach”, do álbum “True Blue” (1986)

    Mais um número um de Madonna no Hot 100 da Billboard, “Papa Don’t Preach” é um dos principais destaques do álbum “True Blue”, que mostra um amadurecimento nas composições da cantora. É nele que Madonna passa a pautar questões sociais, como a gravidez na adolescência, o aborto e o uso de camisinhas.

    A canção foi dedicada, de forma irônica, ao papa João Paulo 2º, que, na ocasião, pediu ao shows da cantora.

    “Like A Prayer”, do álbum “Like A Prayer” (1989)

    Primeiro single, título e principal canção do quarto álbum de Madonna, “Like A Prayer” acentua o teor polêmico de Madonna com relação ao catolicismo.

    Parte de um álbum mais obscuro, que mostra faces difíceis da vida de Madonna como o término com Sean Penn e a morte de sua mãe, a música coloca Deus como o único homem possível da protagonista e faz menção a orgasmos que teriam sido provocados por ele.

    “Vogue”, do álbum “I’m Breathless” (1990)

    Sucesso absoluto, “Vogue” é parte do álbum “I’m Breathless”, trilha sonora do filme “Dick Tracy”. A canção é um hino à pista de dança, marcou época ao prestar tributo a artistas antigos de Hollywood e foi recentemente incorporada a uma versão remix de “Break My Soul”, em que Beyoncé homenageia Madonna e cantoras negras que foram referência para ela.

    O clipe, dirigido por David Finsher, usou e abusou da cultura voguing, própria da comunidade afrolatina LGBTQIA+ dos Estados Unidos.

    “Justify My Love”, do álbum “The Immaculate Collection” (1990)

    É com “Justify My Love” que Madonna, aos 32 anos, sobe o tom sexual em sua carreira. Ele é o primeiro passo de uma sequência de trabalhos me que a cantora coloca o sexo como elemento central de sua produção, como o álbum “Erotica” e o livro “Sex”.

    Com pitadas de sadomasoquismo, o clipe mostra o sexo de forma explícita e chegou a ser banida das emissoras de televisão norte-americanas. A letra e a produção são de Lenny Kravitz.

    “Frozen”, do álbum “Ray Of Light” (1998)

    “Frozen” é a coroação da transformação apresentada por Madonna no álbum “Ray Of Light”. Ela, que tinha feito aulas de canto para protagonizar o filme “Evita”, dá à sua voz uma posição central no disco e na música, que marcam a inserção do hip hop na carreira da cantora.

    A era reflete ainda as mudanças que Madonna sofreu após ter Lourdes, sua primeira filha, e estrar para a cabala.

    “Music”, do álbum “Music” (2000)

    Saindo de uma era introspectiva, Madonna pensou “Music” para ser um estrondo musical, com uma energia eletrofunk contemporânea, capaz de fazer frente a quem estava chegando na indústria musical na época.

    Essa foi a última música da cantora a alcançar o topo do Billboard Hot 100.

    “Hung Up”, do álbum “Confessions On A Dancefloor” (2005)

    Se o tom político crítico de “American Life” não teve tanto sucesso nos charts, o mesmo não pode ser dito de “Confessions On A Dancefloor”, álbum com qual Madonna volta a dominar as pistas de dança.

    “Hung Up”, seu primeiro single, é um tributo à música disco e ao pop das décadas de 1970 e 1980. A canção fez Madonna alcançar o que parecia impossível: conseguiu autorização do ABBA para inserir partes de “Gimme! Gimme! Gimme!” na produção da música.