Anvisa notifica Corinthians para impedir estreia de Willian no Campeonato Brasileiro

Jogador esteve no Reino Unido a menos de 14 dias e precisaria cumprir quarentena antes de atuar pelo clube

Douglas Portoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) notificou o Corinthians e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para que o atacante Willian cumpra isolamento de 14 dias e não enfrente o Atlético-GO, neste domingo (12), pelo Campeonato Brasileiro.

Willian era jogador do Arsenal e morava na Inglaterra. Por determinação da Portaria Interministerial nº 655/2021, todos os viajantes brasileiros que ingressarem no país vindos do Reino Unido precisam cumprir o período de afastamento para controle da variante Delta da Covid-19.

O jogador assinou o Termo de Controle Sanitário do Viajante (TCSV) no dia 1º de setembro, quando se comprometeu a cumprir a medida.

No entanto, a Anvisa afirma que recebeu “notícias não oficiais” de que o atacante corintiano estava participando de treinos e que faria sua estreia pelo time no domingo (12).

Com isso, a agência reguladora diz ter acionado o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) para que adotasse as “ações necessárias para o cumprimento das medidas sanitárias”.

A Vigilância Sanitária de Goiânia também foi acionada para se descolocar até o hotel onde o Corinthians está hospedado na cidade.

“A Anvisa considera a situação como sendo de risco sanitário grave e espera a atuação pelas autoridades de saúde locais, a fim de que adotem as medidas de fiscalização necessárias, determinando a imediata quarentena do jogador”, afirma a agência em nota.

Por Willian ser cidadão brasileiro, a autuação para acompanhamento do isolamento deve ser realizada pela autoridade local de saúde, inclusive para o acionamento de autoridades policiais, caso necessário.

O Corinthians não se pronunciou oficialmente sobre o caso. Mas, após o comunicado da Anvisa, divulgou a lista de relacionados da partida sem o nome de Willian.

Andreas Pereira, do Flamengo, também descumpriu determinações da Anvisa

O meio-campo Andreas Pereira, do Flamengo, também descumpriu a quarentena imposta a jogadores vindos do Reino Unido.

Ele ingressou no Brasil no dia 20 de agosto, vindo do Manchester United, e assinou o termo se comprometendo a cumprir a medida.

Entretanto, jogou na vitória contra o Santos, por 4 a 0, pelo Campeonato Brasileiro, no dia 28 de agosto e até marcou um gol.

Andreas Pereira, do Flamengo, marcou seu primeiro gol pela equipe na partida contra o Santos / Alexandre Vidal / CRF

A Anvisa, por sua vez, não notificou o jogador ou o clube antes da partida. Hoje, informou que “teve conhecimento pela imprensa que o atleta foi escalado”.

Com o fato já consumado, a Anvisa disse que “comunicou o CIEVS local para adoção das medidas sanitárias cabíveis, no sentido de punir o jogador e os demais envolvidos na organização da partida, sem prejuízo da avaliação quanto à responsabilização civil, administrativa e penal dos envolvidos.”

Interrupção da Anvisa no jogo entre Brasil e Argentina

A Anvisa interrompeu o jogo entre Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, no último domingo (5), por quatro jogadores argentinos terem furado a quarentena imposta pelas autoridades brasileiras.

Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero entraram de forma irregular no país ao negar que estiveram anteriormente no Reino Unido, o que exigiria que fossem submetidos a quarentena. Três deles entraram em campo como titulares.

A Associação Argentina de Futebol (AFA) foi notificada de que os atletas não poderiam deixar o hotel em que a delegação argentina estava concentrada. Entretanto, todos foram para a Arena Corinthians para participar da partida.

Antônio Barra Torres, diretor-presidente da Anvisa, afirmou em entrevista à CNN que os jogadores descumpriram as regras sanitárias do Brasil e poderiam ser deportados. Após a interrupção, todos partiram para a Argentina.

“Fica configurada uma infração sanitária que gera a quarentena imediata e deportação imediata. Não é possível entender que esses jogadores participem de outra coisa a não ser isto que acabei de dizer. Portanto, pedimos o apoio da Polícia Federal. Nossos agentes da Anvisa e da Polícia Federal encontram-se no estádio do Itaquera em São Paulo para dar cumprimento à lei”, disse Barra Torres na ocasião.

 

Mais Recentes da CNN