Ashleigh Barty disputará título do Aberto da Austrália com Danielle Collins

Barty, que é australiana, pode ganhar título em casa – o que não acontece com uma tenista do país há 42 anos

Ash Barty durante partida contra Madison Keys no Aberto da Austrália
Ash Barty durante partida contra Madison Keys no Aberto da Austrália Morgan Sette/Reuters (27/01/2022)

Reuters

Ouvir notícia

A tenista australiana Ashleigh Barty está a uma vitória de encerrar a espera de 42 anos por uma campeã em casa após derrotar a norte-americana Madison Keys, por 6-1 e 6-3, na semifinal do Aberto da Austrália nesta quinta-feira (27).

Barty, que é a primeira australiana a chegar a uma final do Grand Slam australiano desde Lleyton Hewitt em 2005, e vai enfrentará a 27ª cabeça de chave Danielle Collins.

A campeã de Wimbledon continuou sua campanha memorável em Melbourne Park e chegou à final do torneio sem perder um set, cedendo apenas 21 games em seis partidas.

A vitória no sábado tornaria Barty a primeira australiana a conquistar o torneio em casa desde Chris O’Neil, em 1978.

Barty disse que não consegue esperar para jogar no sábado.

“Absolutamente. Vamos!”, afirmou Barty radiante na quadra. “É surreal. Honestamente, é incrível, apenas. Eu amo vir aqui e jogar na Austrália, e como australiana, somos excepcionalmente mimados por sermos um país de Grand Slam e podemos jogar aqui no nosso quintal e estou muito feliz de poder jogar o meu melhor tênis aqui.”

“Eu fiz bem antes e agora tenho a chance de disputar o título. É surreal.”

Barty elogiou a adversária norte-americana, que teve um 2021 difícil, mas começou a temporada de maneira brilhante.

“É muito bom vê-la de volta onde ela merece estar. Ela é um ser humano incrível”, disse a australiana. “Você vê a maneira como ela se conduz na quadra. Ela sorri e dá o seu melhor. Mas o que mais amo é que ela é uma grande pessoa. Nós realmente a respeitamos e a amamos.”

Mais Recentes da CNN