Dados mostram que mulheres foram alvo de 87% dos abusos online durante Olimpíada

World Athletics analisou dados de 161 usuários do Twitter de atuais e ex-atletas envolvidos em Tóquio

Os resultados encontraram abusos sexistas, racistas, transfóbicos e homofóbicos com atletas, além de acusações infundadas de doping
Os resultados encontraram abusos sexistas, racistas, transfóbicos e homofóbicos com atletas, além de acusações infundadas de doping Getty Images

Becky Thompsonda CNN*

Ouvir notícia

A World Athletics, antiga Associação Internacional de Federações de Atletismo, descobriu que as atletas femininas foram o alvo de 87% de todos os abusos online na Olimpíada de Tóquio deste ano.

As descobertas vêm de um estudo realizado durante os Jogos e publicado na quinta-feira.

Os dados surgem após o lançamento da nova política de salvaguarda da World Athletics no mês passado, que destaca a preocupação de que as plataformas de mídia social precisam de políticas de salvaguarda mais fortes para proteger os atletas.

Usando uma amostra de 161 usuários do Twitter de atuais e ex-atletas envolvidos em Tóquio, o estudo rastreou suas contas a partir de uma semana antes da cerimônia de abertura das Olimpíadas e terminou no dia seguinte à cerimônia de encerramento.

Os resultados encontraram abusos sexistas, racistas, transfóbicos e homofóbicos com atletas, além de acusações infundadas de doping.

O estudo disse: “Ele também destaca de forma inequívoca os maiores níveis de abuso que as atletas do sexo feminino recebem em comparação com os do sexo masculino.” Além disso, os resultados descobriram que 65% das postagens abusivas foram consideradas gravemente abusivas e justificaram a intervenção de plataformas de mídia social.

“Quando publicamos nossa Política de Salvaguarda no início deste mês, eu disse que os clubes de atletismo, escolas e ambientes esportivos comunitários deveriam ser lugares seguros e felizes para aqueles que praticam nosso esporte”, disse o presidente da World Athletics, Sebastian Coe, no relatório.

“Em um mundo onde compartilhamos tanto de nossas vidas online, isso deve se aplicar ao mundo virtual, bem como ao mundo físico. Esta pesquisa é perturbadora de muitas maneiras, mas o que mais me impressiona é que o abuso é direcionado a indivíduos que estão celebrando e compartilhando suas performances e talentos como forma de inspirar e motivar as pessoas.

“Enfrentar os tipos de abuso que eles sofrem é incompreensível e todos nós precisamos fazer mais para impedir isso. Iluminar o assunto é apenas o primeiro passo.”

A World Athletics disse no estudo que trabalhará em estreita colaboração com o Twitter para tomar as medidas cabíveis contra os perpetradores e notificou a plataforma sobre as postagens abusivas descobertas na pesquisa.

* (Texto traduzido. Clique aqui para ler o original).

Mais Recentes da CNN